Debate marca lançamento de clássico de Marx e Engels

13.12.2007

Jornal PUC Viva
Pela primeira vez, a obra A ideologia alemã, de Karl Marx e Friedrich Engels, escrita entre 1845 e 1846, recebe uma tradução direta do original em alemão para a língua portuguesa. A publicação da Boitempo Editorial foi lançada na semana passada, 12/12, num debate que reuniu na sede da APROPUC os historiadores Antônio Rago, da PUC-SP, e Marco Vanzulli, da Universidade de Milão.

Rago abriu o debate ressaltando a atualidade do pensamento marxista, que se faz indispensável para a compreensão do estado de animalização em que se encontra hoje o mundo. Algo que tem expressão, segundo ele, ao serem observados, por exemplo, recentes acontecimentos no mundo, no país e na própria PUC-SP, onde a nódoa deixada pela invasão da PM chegou a ser brindada por alguns professores.

O professor apontou ainda outras questões importantes contidas no texto de Marx e Engels: a obra desmente alguns intelectuais que colocam a ideologia em contraposição à ciência. Além disso, mostra que Marx colocava como falido o processo de construção do Socialismo a partir de apenas um país.

Dentre todas as obras que constituem o pensamento marxista, Vanzulli observou que A ideologia alemã merece destaque. “Não é um texto qualquer de Marx e Engels. Talvez seja o de maior importância filosófica”, pontuou. Segundo Vanzulli, neste livro os pensadores estão “acertando contas com seu passado”, tecendo uma extensa crítica à filosofia neo-hegeliana.

O ineditismo desta publicação se dá por conter partes do clássico que nunca foram publicadas em português. O livro teve outros dois eventos de lançamento: na USP, em 13/12, e na Fundação Santo André, em 15/12.