Títulos da coleção Marx-Engels trazem análise de Karl Marx sobre a política pós-Revolução Francesa

21.10.2011

Portal Saraiva Conteúdo
Paulo Gajanigo


Quando Marx escreveu O 18 de Brumário de Luís Bonaparte, tinham se passado apenas meio século do fato histórico mais importante da modernidade: a Revolução Francesa. O debate à época estava todo gravitado em torno das consequências dessa experiência: como efetivar os princípios dessa revolução?

Marx inovou ao ver, nos acontecimentos de 1848-1852 – que trouxeram Luis Bonaparte ao poder – não simplesmente uma reencenação da ascensão do primeiro Bonaparte – o Napoleão – após a Revolução Francesa.

Marx viu no surgimento do segundo Bonaparte a demonstração de que a burguesia já não mais atuaria de forma revolucionária, como em 1789. Por trás dessa interpretação, estava a indicação de que, a partir de 1848, a construção da história havia passado de mão: agora seria tarefa do proletariado.

Duas décadas depois, uma insurreição estremecia Paris. Marx, além de testemunha, interviu por meio de redações de panfletos que deram corpo ao livro A Guerra Civil na França.

Sofrendo com invasão da Prússia, os camponeses e operários franceses se viram abandonados pela monarquia de Luis Bonaparte. Os trabalhadores tomaram o poder de Paris e aprovaram medidas que iam no sentido de diminuição da exploração sobre o trabalho e de maior controle popular sobre o Estado.

A ironia, que deu à tese de Marx solidez, esteve na aliança que Prússia e o poder de Versalhes estabeleceram para derrotar a Comuna. Ficou claro que os trabalhadores, assaltando o céu, passaram a ser os mais perigosos atores sociais.

As duas edições oferecem um quadro bem detalhado desse período. O 18 de Brumário de Luís Bonaparte é uma coletânea de artigos que Marx escreveu para um jornal americano.A Guerra Civil na França reúne panfletos, cartas e entrevistas de Marx sobre o evento – ambos escritos no calor dos acontecimentos.

Essa particularidade exige que o leitor recorra às notas e cronologias presentes nessas excelentes edições da Boitempo para melhor compreensão e visualização da potência analítica de Karl Marx.