Apocalipse analisado

05.08.2012

Revista Filosofia - Ciência e Vida
Da Redação.


Como toda sociedade humana reage ao fim anunciado de sua forma de organização socio-econômica: o capitalismo? Slavoj Zizek transpõe quatro reações clássicas do individuo diante uma tragédia para a sociedade. No capítulo "Negação", o autor discorre sobre como a ideologia liberal dominante durante o século XX buscou esconder a sujeira debaixo do tapete no século XXI. Em "Raiva" nos é apresentado de que maneira o discurso capitalista elege batalhar contra "inimigos" fantasmáticos. "Barganha" traz as alternativas propostas pela esquerda que já não mais se propõe a tomar o "Estado". Zizek discorre em "Depressão" sobre os novos traumas causados por quebras sem causalidade ou sujeito aparente, como o desemprego na Ásia decorrendo do investimento especulativo nos Estados Unidos. Finalmente, no capítulo "Aceitação" o autor aponta o modo como foram aceitas dentro do discurso capitalista as exigências anticapitalistas dos estudantes em protesto de maio de 1968. Uma análise vivaz dos "últimos tempos", buscando uma cola significativa para elementos que parecem flutuar com o vento.