Haja memória

28.01.2013

O Estado de Minas | Divirta-se
João Paulo Cunha

Entre os autores estrangeiros, o livro de maior impacto do ano foi A morte do meu pai, do norueguês Karl Ove Kanausgard, primeiro dos seis volumes da autobiografia Minha luta, um impressionante documento humano e literário. Outro grande romance foi O homem que amava os cachorros, de Leonardo Padura, um thriller histórico que tem como protagonistas Trotski e seu assassino, Ramon Mercader, narrado por um escritor cubano que vive mais uma das muitas derrocadas e antevisões do ocaso do sonho socialista. Para completar o pacote internacional, não dá para perder a edição dos Contos reunidos de Vladimir Nabokov, o mais sofisticado estilista do século 20.