Escritor lança livro com a história dos populares Clóvis (bate-bolas) do Carnaval carioca

18.02.2015

Bruno Astuto | Revista Época
da Redação

No início do século XX, quando o Carnaval era uma festa para poucos e o Rio de Janeiro passava por grandes transformações, grupos de mascarados se reuniam pelos becos da cidade e enfrentavam a ordem pública e a repressão. Eram chamados de Clóvis ou Bate-bolas. De lá para cá, esses personagens viraram tradição no Carnaval de rua da cidade.

Aproveitando a época de folia, Felipe Bragança está lançando um projeto que tem como pano de fundo a história desses grupos, muito populares no subúrbio do Rio. "São três etapas: uma web-série, que está disponível online e em DVD, um livro e um jogo de videogame. A proposta  lançar um olhar de crônica sobre a mitologia do folclore carioca em diversas expressões e mídias", diz o autor do projeto Claun, que na também faz um estudo sobre o estilo dos populares bate-bolas, repleta de fotos. "Suas roupas fazem referências ao carnaval ibérico, às máscaras do carnaval de Veneza e a entidades do candomblé", afirma.