Nuances das opressões

11.09.2016

Rede Brasil Atual
Xandra Stefanel
Chega às livrarias em setembro a primeira edição brasileira de Mulheres, raça e classe (Boitempo Editorial, 248 págs.), da intelectual norte-americana Angela Davis, que fez parte do movimento Panteras Negras, do Partido Comunista dos Estados Unidos e da luta por direitos civis, entre outros. A obra traça um panorama histórico e crítico das imbricações entre as lutas anticapitalista, feminista, antirracista e a luta antiescravagista, sem deixar de lado o movimento sufragista e os dilemas contemporâneos da mulher. Um marco da literatura sobre questões de raça e gênero que evidencia o modo pelo qual as opressões estruturam a sociedade. “Mulheres, raça e classe e? uma obra fundamental para se entender as nuances das opressões. Começar o livro tratando da escravidão e de seus efeitos, da forma pela qual a mulher negra foi desumanizada, nos dá a dimensão da impossibilidade de se pensar um projeto de nação que desconsidere a centralidade da questão racial, já que as sociedades escravocratas foram fundadas no racismo”, escreve a filósofa e feminista Djamila Ribeiro no prefácio. R$ 54.