A jaula de aço

Max Weber e o marxismo weberiano

Michael Löwy

R$ 42,00

As sínteses possíveis entre a teoria conservadora de Max Weber e a do revolucionário Karl Marx, na construção de uma crítica radical e urgente do progresso hoje

A jaula de aço inova ao mostrar analogias possíveis entre teorias tão divergentes quanto a do liberal Max Weber e Karl Marx, um dos fundadores do comunismo. Autor de diversas obras sobre Walter Benjamin e Marx, Löwy agora se debruça sobre as teorias weberianas menos conhecidas – como a "jaula de aço", que dá nome ao livro –, revela as críticas do pensador ao capitalismo e sua corrida desenfreada pelo lucro, que encerra a humanidade em um sistema implacável e a levará a um futuro sombrio. 

A partir da tese weberiana de que a sociedade capitalista é a “jaula de aço” em que vivemos, Löwy aborda a temática do pessimismo cultural e elabora um diagnóstico da civilização capitalista burocrática – “dura como aço” – e o futuro que nos reserva. Estamos condenados à servidão dos novos tempos? Para o sociólogo, essa não era a convicção de Marx e no caso de Weber, encontra "uma janela aberta para a utopia", ou seja, a associação do pessimismo da razão com o otimismo da vontade em um famoso estudo sobre as “afinidades eletivas” entre a ética protestante e o espírito do capitalismo. "Marx e Weber são indispensáveis para compreender o mundo em que vivemos, pois, mais do que nunca, somos submetidos ao poder total de forças impessoais – o mercado, as finanças, a dívida, a crise, o desemprego – que se impõem aos indivíduos como um destino implacável. Jamais como em nossa época as regras de aço da civilização capitalista industrial moderna exerceram tamanha coerção sobre as populações", afirma Löwy.

O livro se divide em três partes – Weber, Marx e a “jaula de aço”; Max Weber sobre as afinidades eletivas; e Marxismo weberiano – e conta com capítulos destinados a analisar a influência anticapitalista que Weber exerceu sobre outros grandes pensadores, como Walter Benjamin, Maurice Merleau-Ponty, Ernst Bloch, além do icônico filósofo Lukács. No prefácio a esta edição, o autor aborda ainda o marxismo weberiano no Brasil. 

Saudado pela crítica internacional, A jaula de aço se consolida como uma importante obra para se entender o até então pouco explorado universo de afinidades e complementariedade entre Marx e Weber e dar nova luz às teorias de dois dos maiores intelectuais da história mundial, que deixaram rastro profundo nas ciências humanas e na cultura do século XX. 
 
 

Errata, "Prefácio à edição brasileira": Por um lapso na transmissão eletrônica de arquivos do autor para a editora, publicou-se, na versão impressa do recém-lançado A jaula de aço: Max Weber e o marxismo weberiano, uma versão incompleta do prefácio à edição brasileira.

Com os pedidos de desculpas de Michael Löwy e da equipe da Boitempo Editorial, oferecemos aqui a versão completa do texto.