Margem Esquerda n.12

Ana Clara Ribeiro,Beatriz Whitaker,Emir Sader,Erich Fried,Ivana Jinkings,Lucio Magri,Luiz Bernardo Pericás,Luiz Renato Martins,Mauro Luis Iasi,Miguel Vedda,Mike Davis,Paul Sweezy,Paulo Arantes,Paulo Barsotti,Régis Michel,Samir Amin eSlavoj Žižek

Revista Margem Esquerda Coleção Dia da mulher é dia da luta feminista! PROMOÇÃO

R$ 30,00

Em lugar das modernas e funcionais cidades prometidas pelo neoliberalismo, as megalópoles do Sul do mundo multiplicam favelas. São o retrato de uma terra arrasada, onde milhões de pessoas vivem em moradias precárias, cercadas por lixo, poluição e ruínas, apartadas do mundo formal. A especulação imobiliária expulsa os pobres das regiões centrais para as periferias, numa segregação urbana que reflete a incessante guerra social de nosso tempo.

Na entrevista que concedeu à Margem Esquerda – coordenada pela professora Otilia Fiori Arantes, com a participação de Ermínia Maricato, Mariana Fix e Michael Löwy –, o historiador marxista Mike Davis expõe o pesadelo da produção em massa de miséria e caos urbano – uma “urbanização sem urbanidade”, causa maior da crise global do meio ambiente. Davis fala de sua trajetória intelectual, dos autores que o influenciaram, do trabalho como caminhoneiro. Faz uma crítica radical à celebração de que os pobres podem solucionar a crise da vida diária sem redistribuição de renda e de poder político.

O desmanche urbano é também tema do dossiê desta edição: Resistências populares na cidade neoliberal. Ana Clara Torres Ribeiro, coordenadora do Grupo de Trabalho Desenvolvimento Urbano do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso), discute em “Cidade e capitalismo periférico: em direção à experiência popular” o conceito de justiça urbana na América Latina, enquanto a socióloga Beatriz Whitaker faz uma síntese dos movimentos por moradia e das ocupações no centro de São Paulo. Mas a crise urbana não se restringe à periferia do capitalismo, nos mostra Paulo Arantes em “Alarme de incêndio no gueto francês”, ao discorrer sobre os motins e as barricadas iniciados em Lyon, em 2005, que levantaram a bandeira por um “estado de urgência social”.

Slavoj Žižek, filósofo e psicanalista esloveno – que esteve em outubro deste ano no Brasil para lançar (pela Boitempo) A visão em paralaxe –, abre a seção Artigos com um texto exclusivo para a Margem Esquerda. Nele, investiga a construção da ideologia e das relações de dominação próprias ao liberalismo. Para entender a dinâmica do que chama de “utopia liberal”, une análise de conjuntura, psicanálise, pensamento marxista e economia, tendo como fio condutor o balanço dos protestos de 1968, do qual ressalta: seu principal legado é “sejamos realistas, exijamos o impossível”. Também egresso dos conturbados anos 1960, Emir Sader discute, em “Por onde anda o ‘outro mundo possível’?”, as lutas acumuladas desde a convocação do primeiro Fórum Social Mundial e defende que a América Latina é hoje o elo mais fraco da cadeia neoliberal.

Os ventos do sul também animam a luta dos trabalhadores por uma verdadeira democratização do poder econômico, segundo Samir Amin. Em meio à crise econômica internacional, o intelectual egípcio analisa a evolução do capitalismo para um sistema financeirizado e oligopolista, ressaltando suas implicações sociais e políticas, como a emergência de uma plutocracia das altas finanças. Já o marxista italiano Lucio Magri, em “O alfaiate de Ulm”, empreende um balanço da esquerda italiana e do movimento comunista. Caminhos e descaminhos que também são tema do artigo “Goethe: o falsificado pelo fascismo e o autêntico”, do estudioso da estética lukacsiana Miguel Vedda, sobre a presença do autor alemão nos escritos de Lukács do período berlinês (1931-1933), ajudando a colocar por terra ideias preconcebidas a respeito do filósofo húngaro. Finalmente, “Cenas parisienses”, de Luiz Renato Martins, faz um apanhado das diferenças entre os retratos de Manet e os da geração que o precedeu.

A seção Documento traz um importante texto de Paul Sweezy, “Capitalismo e meio ambiente”, fundador e inspirador de movimentos ecológicos socialistas. Régis Michel assina o Comentário do semestre e trata da filmografia do berlinense Harun Farocki, “figura heróica do ex-novo cinema alemão, de onde saíram Straub, Kluge, Reitz e Wenders”.

Vem também da Alemanha o poema deste número, de Erich Fried – selecionado e traduzido pelo editor da seção, Flávio Aguiar. Fried tinha ascendência judaica e durante o processo de anexação da Áustria pela Alemanha nazista fugiu com a mãe para a Grã-Bretanha, onde fixou residência. Trabalhou inicialmente como bibliotecário e foi comentarista político da BBC de Londres, de 1952 a 1968. Publicou livros e poemas engajados, dentre os quais “Was es ist”, traduzido em várias línguas. Apresentamos aqui uma versão dele, que é tanto uma tradução como uma leitura de seu sentido. A interpretação de Flávio Aguiar é alegórica, por isso mantivemos os substantivos com maiúsculas.

Completam esta Margem Esquerda três resenhas, quatro notas de leitura, as belíssimas imagens da CIA DE FOTO e uma carta de Chico de Oliveira ao jornalista Raimundo Pereira.

Dedicamos a presente edição a dois grandes homens: o poeta palestino Mahmoud Darwish (1942-2008) e o jornalista e escritor paulistano Lourenço Diaféria (1933-2008). – Ivana Jinkings

Sumário

Apresentação
Ivana Jinkings

Entrevista
Mike Davis
Por Otília Fiori Arantes, Ermínia Maricato, Mariana Fix e Michael Löwy

Dossiê: Resistências populares na cidade neoliberal
Cidade e capitalismo periférico: em direção à experiência popular
Ana Clara Torres Ribeiro

Alarme de incêndio no gueto francês
Paulo Arantes

Os movimentos de moradia e a questão urbana
Beatriz Whitaker

Artigos

A utopia liberal
Slavoj Žižek

Economia de mercado ou capitalismo financeiro oligopólico?
Samir Amin

O alfaiate de Ulm
Lucio Magri

Por onde anda o "outro mundo possível"?
Emir Sader

Cenas parisienses
Luiz Renato Martins

Goethe: o falsificado pelo fascismo e o autêntico
Miguel Vedda

Documento
Capitalismo e meio ambiente
Paul Sweezy

Comentário
Farocki: o olho máquina
Régis Michel

Resenhas
Lampião, senhor do sertão
Luiz Bernardo Pericás

Um encontro com o bom debate
Mauro Iasi

Michael Löwy, o infatigável
Paulo Barsotti

Notas de leitura
O jovem Marx e outros escritos de filosofia. Socialismo e democratização – Escritos políticos 1956-1971. Georg Lukács – Etapas de seu pensamento estético. Lukács e a arquitetura.
Maria Orlanda Pinassi

Os condenados da terra
João Alexandre Peschanski

Os irredutíveis: teoremas da resistência para o tempo presente
Fábio Mascaro Querido

A educação para além do capital
Caio Antunes

Carta à Margem
Para a história da esquerda
Francisco de Oliveira

Apresentação das imagens (CIA DE FOTO)
Imagens dos sem-avesso
Luiz Renato Martins

Poesia
Was es ist/ O que é
Erich Fried (tradução de Flávio Aguiar)