Os jacobinos negros

Toussaint L'Ouverture e a revolução de São Domingos

C. L. R. James

Coleção Consciência Negra Coleção Promoção DIA DO HISTORIADOR

R$ 59,00

"Uma estonteante narrativa de uma revolução que influenciou extraordinariamente a história dos EUA anterior à Guerra Civil."
— Time

As tropas brasileiras ocupam as favelas de Porto Príncipe, capital do Haiti, na maior ação militar do país no exterior em décadas. Mas que país é o Haiti, hoje o mais pobre da região, mas que foi a primeira nação da América Latina a se tornar independente? Qual é a sua história?

Em 1938, no auge do nazismo e da predominância das teorias de supremacia da raça branca em todo o mundo, o escritor C. L. R. James demolia preconceitos ao mostrar a função histórica da escravidão e a função social da opressão do negro.

Os jacobinos negros é um verdadeiro tratado sobre essa questão e projeta luz sobre o pano de fundo histórico do drama atual do Haiti. O autor faz um relato minucioso da insurreição de escravos que expulsou os colonizadores franceses de São Domingos, antigo nome do país. Na colônia, principal parceiro comercial da França, integrada a economia mundial da época, a população negra que gerava a riqueza era dez vezes maior do que a dos brancos. Ali, os ideais da revolução na metrópole, que pregava "liberdade, igualdade e fraternidade" ecoaram nas lideranças dos escravos rebelados, os jacobinos negros. Com o ideal de construir um país independente que se aliaria a França revolucionária em pé de igualdade, um "posto avançado" dos ideais revolucionários no continente americano.

A independência foi conquistada não com o apoio, mas em combates contra as tropas francesas, inglesas e espanholas. Mas isolados da economia internacional, por terem se rebelado contra a escravidão em uma época onde os Estados Unidos, Cuba e Brasil eram sociedades escravocratas, a rebelde ilha caribenha foi "condenada" ao atraso por sua ousadia. O destino de seu líder, Toussaint L`Ouverture, foi trágico.

Um livro essencial sobre a revolta dos explorados contra os exploradores, dos negros contra a escravidão, da América Latina contra o colonialismo, formas de opressão contra as quais se levantou a revolução haitiana. Para Jacob Gorender, autor da orelha do livro, "James se apoiou solidamente em fontes historiográficas abundantes e seguras e soube elaborar um texto fluente e cativante. O que torna este Os jacobinos negros um livro precioso não só para estudiosos especializados, mas também para todos os que desejam conhecer a História a fim de entender melhor o mundo em que vivem."

Os jacobinos negros traz ainda um apêndice onde o autor relaciona as semelhanças e diferenças entre a ressurreição hatiana e a Revolução Cubana, intitulado "De Toussaint L`Ouverture a Fidel Castro"; uma cronologia da história do Haiti e um índice onomátisco e remissivo dos personagens históricos citados no livro.