• Minhas compras
  • Entrar
  • Mike Davis
    Mike Davis autor

    Mike Davis nasceu na cidade de Fontana, Califórnia, em 1946. Abandonou os estudos precocemente, aos dezesseis anos, por conta de uma grave doença do pai. Trabalhou como açougueiro, motorista de caminhão e militou no Partido Comunista da Califórnia meridional antes de retornar à sala de aula. Aos 28 anos, ingressou na Universidade da Califórnia de Los Angeles (Ucla) para estudar economia e história. Atualmente, mora em San Diego, é um distinguished professor no departamento de Creative Writing na Universidade da Califórnia, em Riverside, e integra o conselho editorial da New Left Review. Autor de vários livros, entre eles Ecologia do medo, Holocaustos coloniais, O monstro bate à nossa porta (Record) e Planeta Favela (Boitempo).

triangulo
  • R$ 54,00

    Se a imagem da metrópole no século XX era a dos arranha-céus e das oportunidades de emprego, Planeta Favela leva o leitor para uma viagem ao redor do mundo pelos realidade dos cenários de pobreza onde vive a maioria dos habitantes das megacidades do século XXI.O urbanista norte-americano Mike Davis investiga as origens do crescimento vertiginoso da população em moradias precárias a partir dos anos 80 na América Latina, na África, na Ásia e no antigo bloco soviético. Combinando erudição acadêmica e conhecimento in loco das áreas pobres das grandes cidades, Davis traz a história da expansão das metrópoles do Terceiro Mundo, analisando os paralelos entre as políticas econômicas e urbanas defendidas pelo FMI e pelo Banco Mundial e suas consequências desastrosas ...

    Ano de publicação 2006.

  • Apologia dos bárbaros ensaios contra o império
    R$ 58,00

    O novo livro do historiador norte-americano Mike Davis, publicado pela Boitempo Editorial, tem como pano de fundo os atentados de 11 de setembro de 2001. As transformações ocorridas após a derrubada das torres do World Trade Center fundamentam a análise empreendida por Davis de aspectos das políticas interna e externa dos Estados Unidos.Mike Davis é consagrado como um crítico ferrenho do imperialismo norte-americano. Na apresentação do livro, Paulo Daniel Farah escreve: 'Apologia dos bárbaros se propõe a celebrar a contranarrativa dos que não pertencem à autoproclamada 'civilização' hegemônica (os quais, portanto, inserem-se automaticamente na categoria amorfa da barbárie)'.O discurso maniqueísta de George W. Bush, as desastrosas intervenções militares no Afeg ...

    Ano de publicação 2008.

  • R$ 30,00

    Em lugar das modernas e funcionais cidades prometidas pelo neoliberalismo, as megalópoles do Sul do mundo multiplicam favelas. São o retrato de uma terra arrasada, onde milhões de pessoas vivem em moradias precárias, cercadas por lixo, poluição e ruínas, apartadas do mundo formal. A especulação imobiliária expulsa os pobres das regiões centrais para as periferias, numa segregação urbana que reflete a incessante guerra social de nosso tempo. Na entrevista que concedeu à Margem Esquerda – coordenada pela professora Otilia Fiori Arantes, com a participação de Ermínia Maricato, Mariana Fix e Michael Löwy –, o historiador marxista Mike Davis exp&ot ...

    Ano de publicação 2008.

  • Cidade de quartzo escavando o futuro em Los Angeles
    R$ 73,00

    Este clássico da sociologia urbana analisa a construção de Los Angeles e suas características de metrópole milionária e miserável simultaneamente - características essas que podem ser reconhecidas no Brasil, assim como em qualquer metrópole do Terceiro Mundo.A área metropolitana de Los Angeles, no final da década de 1980, pode ser compreendida como a metáfora de um desajuste estrutural do sistema, cuja orientação se dá na busca incessante e incondicional pelo lucro máximo, que 'constrói espaços urbanos vazios de qualquer humanidade', nas palavras de Ricardo Lísias, que assina a orelha da obra.Em Cidade de quartzo: escavando o futuro em Los Angeles, Mike Davis discorre sobre as entremeadas e complexas características da cidade norte-americana, como a especulaç ...

    Ano de publicação 2009.

  • Outubro história da Revolução Russa
    R$ 35,40

    Em fevereiro de 1917, a Rússia era uma monarquia atrasada e autocrática chafurdada em uma guerra impopular. Em outubro, depois não apenas de uma, mas de duas revoluções, ela havia se tornado o primeiro Estado de trabalhadores do mundo, empenhando-se para estar na vanguarda da revolução global. Como se deu essa transformação inimaginável? Fazendo um giro panorâmico que nos leva de São Petersburgo e Moscou às vilas mais remotas de um império que se alastrava, Miéville revela as catástrofes, intrigas e inspirações de 1917, em toda sua paixão, drama e estranheza. O autor intervém com maestria em debates historiográficos de longa data, mas sua narrativa tem em mente especialmente o leitor não especializado, que busca uma noção abrangente dos fatos daquele ano q ...

    Ano de publicação 2017.

  • Margem Esquerda nº14 Dossiê: imperialismo, ecologia e crise estrutural
    R$ 30,00

    A crise ecológica manifesta uma contradição fundamental do capitalismo: entre o sistema produtivo e as condições de produção. Desde os primórdios da acumulação primitiva do capital, a conquista de mais e mais lucro se dá com a destruição de trabalhadores e da natureza. Contraditoriamente, o capitalismo destrói sua base, minando a própria capacidade de reprodução. A sorte das classes trabalhadoras e a do meio ambiente estão diretamente vinculadas. A compreensão crítica do vínculo entre luta de classes e ecologia se torna tema indispensável ao pensamento marxista. Organizado por Carla Ferreira e Mathias Luce, o dossiê des ...

    Ano de publicação 2010.

  • Occupy movimentos de protesto que tomaram as ruas
    R$ 15,00

    A memória coletiva marcará 2011 como o ano em que as pessoas tomaram as ruas de diversos países em uma onda de mobilizações e protestos sociais: um fenômeno que começou no norte da África, derrubando ditaduras na Tunísia, no Egito, na Líbia e no Iêmen; estendeu-se à Europa, com ocupações e greves na Espanha e Grécia e revolta nos subúrbios de Londres; eclodiu no Chile e ocupou Wall Street, nos EUA, alcançando no final do ano até mesmo a Rússia. Das praças ocupadas por acampamentos às marchas de protesto nas avenidas das principais metrópoles, emergiu uma consciência de solidariedade mútua que resultou em toda sorte de material multimídia sobre o movimento na internet, amplamente compartilhado nas redes sociais.Para o jornalista, doutor em Ciências Sociai ...

    Ano de publicação 2012.

  • Cidades Rebeldes Passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil
    R$ 15,00

    O lançamento pretende contribuir com o debate iniciado pelo Movimento Passe Livre (MPL) - o MPL-SP participa da coletânea com um artigo -, ajudando a consolidar suas bases teóricas e práticas. Nesse sentido, Cidades rebeldes reúne o pensamento crítico independente para refletir os fatos recentes, em meio a uma disputa de interpretações das vozes rebeldes, que se estendeu inclusive às ruas. Raquel Rolnik, na apresentação do livro, pensa as manifestações 'como um terremoto que perturbou a ordem de um país que parecia viver uma espécie de vertigem benfazeja de prosperidade e paz, e fez emergir não uma, mas uma infinidade de agendas mal resolvidas, contradições e paradoxos'.Nesse sentido, os autores apontam várias agendas como o epicentro do terremoto. Para Ruy Bra ...

    Ano de publicação 2013.