• Minhas compras
  • Entrar

Mudamos nossa loja virtual para melhor atendê-lo. Se você já é cliente, utilize a funcionalidade de "Esqueci minha senha" para atualizar seu acesso e fazer o login.

Minhas Compras

Não há produtos no carrinho.

  • Heinrich Heine
    Heinrich Heine autor

    Heinrich Heine nasceu em Dûsseldorf no ano 1719 e faleceu em Paris em 1856. Poeta, ensaista, novelista e dramaturgo, influenciou decisivamente autores como Dostoiévski, Nietzsche, Heinrich Mann e Brecht, e é um dos escritores mais citados por Freud. Falou – antes de Marx – do papel importante que o proletariado viria a desempenhar na ordem econômica mundial. O autor d'O capital chegou a dizer que Heine e Dickens eram seus escritores preferidos, embora jamais deixasse – tal como Engels – de o ver com olhos críticos. É que Heine, ao mesmo tempo em qe odiava a burguesia, tinha medo de que o mesmo proletariado, para cuja importância chamava atenção, usasse seus livros como papel de embrulho. No fundo, temia que as massas viessem a destruir os requintes alcançados pela civilização e a beleza da arte que ele tanto estimava. Assim como Aristófanes – Marx já fez a mesma comparação –, Heine mostrou os mais terríveis quadros da loucura humana utilizando apenas o espelho de sua sátira.

triangulo
  • R$ 29,00

    Lutas de classes na Alemanha é o nono volume da coleção Marx e Engels, na qual a Boitempo vem publicando a obra dos dois pensadores em traduções inéditas, feitas diretamente do alemão. Com prefácio de Michael Löwy e tradução de Nélio Schneider, esse livro reúne pela primeira vez alguns dos principais textos redigidos por Marx e Engels sobre as lutas de classes na Alemanha – textos que visavam não só interpretar a realidade social e política mas também transformá-la, para retomar a famosa Tese XI sobre Feuerbach. Os documentos incluídos nesse pequeno volume – “Glosas críticas ao artigo ‘O rei da Prússia e a refo ...

    Ano de publicação 2010.

  • R$ 38,00

    Uma obra multifacetada que se move entre as fronteiras do fragmento, da novela e do tradicional romance picareso. Do fragmento ela tem o título e um aparente desleixo na tecitura da narrativa, que pode ser – muito antes – creditado à ironia do autor. Da novela a obra tem a extensão. O resto é romance picaresco. Schnabelewopski abandona sua pátria e vai conhecer o mundo como todos os heróis pícaros que o antecederam. Sua vida, suas andanças e aventuras tecem o pano da narrativa. Em todos os lugares por onde passa, o "herói" vive sua história de amor. Não é um estudante exemplar e se esquiva de todos os duelos, nos quais apenas assume papel de espectador – ...

    Ano de publicação 2001.