• Minhas compras
  • Entrar
  • Edyr Augusto Proença
    Edyr Augusto Proença autor

    Edyr Augusto nasceu em Belém (PA) em 1954. Jornalista, escritor, dramaturgo e diretor de teatro, trabalhou como radialista e redator publicitário e também produziu jingles. Filho do escritor e radialista Edyr de Paiva Proença, iniciou sua carreira como dramaturgo no final dos anos 1970; já sua estreia como romancista se deu em 1998, com a publicação de Os éguas. Quadro desolador da metrópole amazonense, esse thriller regionalista mergulha no ritmo frenético da decadência e da violência urbanas. As narrativas de Edyr Augusto estão todas ancoradas na realidade paraense. Em 2001 lançou Moscow, seu segundo romance, seguido de Casa de caba (2004), do livro de contos Um sol para cada um (2008) e dos romances Selva concreta (2012) e Pssica (2015), todos publicados pela Boitempo. Sua linguagem enxuta e coloquial traz para o leitor a oralidade das ruas de Belém, enquanto a temática urbana, com tramas de suspense que se desenrolam por bares, botecos, restaurantes, delegacias, clubes, motéis e prostíbulos, ecoa a tradição policialesca noir. É nesse encontro que se configura o estilo singular da obra de Edyr Augusto. Em 2013, com a publicação de Os éguas em francês (com o título Belém), o autor ganhou destaque na cena literária parisiense. Reverenciado pela crítica, o livro recebeu, em 2015, o prêmio Caméléon de melhor romance estrangeiro, na Université Jean Moulin Lyon 3. No mesmo ano, Edyr participou do festival Quais du Polar, em Lyon, evento mundialmente conhecido por celebrar o gênero noir na literatura e no cinema, e do Salão do Livro de Paris. Desde então, seus romances vêm sendo traduzidos para o francês. Em 2014, foi a vez de Moscow, em 2015, de Casa de caba (publicado com o título Nid de vipères) e em 2017, de Pssica. O estilo marcante – a escrita alucinante e implacável de Edyr – já havia chamado a atenção de editoras internacionais, a começar pelo romance Casa de caba, publicado na Inglaterra com o título Hornets’ nest (Aflame Books, 2007). O paraense também teve alguns contos traduzidos no Peru, pela editora PetroPeru, e no México, pela Vera Cruz. Casa de caba, Selva concreta e Pssica estão sendo adaptados para televisão e cinema. Em 2020, quase simultaneamente a seu lançamento no Brasil, Belhell será publicado na França pela editora Asphalte, que publicou todos os anteriores no país.

triangulo
  • Geração 90: os transgressores os melhores contistas brasileiros surgidos no final do século XX
    R$ 47,00

    Esta é uma antologia de prosadores ? dos melhores contistas e romancistas surgidos na década de 90 ? e não de contos, que são todos inéditos e foram escritos exclusivamente para este projeto pelos dezesseis escritores convidados. A essa altura do campeonato você deve estar se perguntando: 'Os transgressores? Que diabos de subtítulo é esse? Que significa ser um transgressor hoje em dia?' A resposta a essas questões é toda a justificativa desta antologia, cujo propósito é o de dar continuidade à primeira, organizada por mim e lançada pela Boitempo ? Geração 90: manuscritos de computador ?, e se possível enriquecê-la.Este livro é o melhor tributo possível às vanguardas - à tribo de Joyce, à de Breton, à de Oswald, tão distintas ?, hoje todas extintas, e ao s ...

    Ano de publicação 2003.

  • R$ 32,00

    Casa de caba é um romance surpreendente. Uma história que mistura vingança, estrelas americanas de rock na floresta amazônica e escândalos políticos com linguagem, forma e ritmo que agarram o leitor. Uma história de ação contada nas diversas vozes e pontos de vista dos seus personagens.Isabela Pastri acompanhou a escalada ao poder de Wlamir Turvel desde o dia em que ele agrediu e tornou seu pai inválido, além de tomar sua serraria, em Castanhal, interior do estado. Agora ele é governador do Pará e um dos elos mais importantes do tráfico de drogas na Amazônia. Ela tornou-se sua amante, está grávida e conhece seus segredos.Fred Pastri, seu irmão, migrou para os Estados Unidos, onde acabou namorado de Pat, uma famosa cantora de rock. Larga tudo e vem de Nova York p ...

    Ano de publicação 2004.

  • R$ 37,00

    Em Um sol para cada um, seu novo livro de contos, o escritor paraense Edyr Augusto Proença retoma a linha literária que o caracteriza e usa a realidade nua e crua da cidade de Belém como matéria-prima de suas histórias, transportando o leitor para os cantos mais sombrios e escondidos da metrópole.Os personagens dos 36 textos são escancaradamente verdadeiros e, por isso mesmo, perturbadores. Suas ações e contradições são descritas de maneira direta por Edyr, observador acurado e estilista talentoso. Ficção realista que se recusa a cair em dogmatismos, em Um sol para cada um não há espaço para meias palavras ou tons pastéis.Por suas páginas desfilam marginais, prostitutas, criminosos e viciados, formando, nas palavras de Nelson de Oliveira, autor da apresentaçã ...

    Ano de publicação 2008.

  • R$ 32,00

    Os Éguas, de Edyr Augusto, é um romance policial diferente. Trata-se de um thriller regionalista que conta uma história de sexo, drogas, corrupção policial e morte. Em seu centro, um delegado alcoólatra 'de mediana inteligência e vastos sofrimentos'.O cenário é Belém do Pará, surpreendentemente violenta e decadente, retratada sem qualquer condescendência. Os Éguas é um romance que não deixa nada da cidade de fora, indo da grã-finagem à patuleia, mostrando bares, botecos, restaurantes, delegacias, clubes e motéis. Sua linguagem é coloquial, típica da região, compondo um retrato perfeito da oralidade local. O título da obra define com ironia a fauna humana que cafunga e geme na história de aterradora violência narrada.A trama de Edyr Augusto tem ecos de roma ...

    Ano de publicação 1998.

  • R$ 30,40

    Selva concreta é a nova ficção do jornalista, radialista, dramaturgo e escritor paraense Edyr Augusto Proença. Ambientado em Belém, o romance traz incômodas semelhanças com a experiência urbana de qualquer cidade na periferia do capitalismo. Explorando as patologias e os vícios do submundo próprios às metrópoles brasileiras, marcadas pela má distribuição de renda e pelo abuso de poder, Edyr compõe um retrato inusitado e desconfortante do Brasil contemporâneo.O fluxo intenso da narrativa submerge as múltiplas fisionomias da obra na cadência fragmentada da cidade: o policial corrupto, o playboy, o apresentador de TV picareta, o radialista ávido por um furo de reportagem, o cagueta, o assassino de moças, a cantora queridinha, a mulher do malandro, o boa-praça e ...

    Ano de publicação 2012.

  • R$ 28,16

    Belhell é Belém, capital paraense, que, mais uma vez, pelas mãos de Edyr Augusto, se vê transformada não em cenário, mas em verdadeiro personagem desse brevíssimo romance urbano. Suas ruas, avenidas, becos, lanchonetes, clubes, casas noturnas, prostíbulos e hospitais são redimensionados pelas ações de Gil, Paula, dr. Marollo, Paulo e Sérgio Aragão. Contudo, é no clandestino cassino Royal, entre dados, cartas, fichas, dinheiro, uísque, cocaína, sexo e regras precisas, declaradas ou não, que o destino dos protagonistas é fatalmente posto em jogo. Uma narrativa que dá forma literária às diversas manifestações da violência cotidiana, revelando que o submundo está bem mais próximo do que ousamos imaginar. Após o sucesso de Pssica (2015), Edyr Augusto lança ...

  • R$ 29,00

    Moscow, romance de Edyr Augusto, conta uma história de suspense narrada com uma oralidade singular - a linguagem falada em Belém do Pará. Por seu formato, trata-se de um livro para ser lido de um fôlego só.Sua narrativa em primeira pessoa é um verdadeiro tratamento de choque. O estilo asfixiante de Edyr Augusto aproxima o texto da realidade. A obra é como um punho que atinge o leitor secamente, sem lhe deixar tempo para recobrar a respiração. O personagem central de Moscow é um jovem marginal envolvido num mundo repleto de violência, gangues, sexo, drogas e crime. Ambientado na praia do Mosqueiro, no Pará, o livro retrata personagens extremamente cruéis, verdadeiros, sem culpa e que poderiam ser encontrados não só ali, mas em São Paulo, Rio de Janeiro ou em qualqu ...

    Ano de publicação 2001.

  • R$ 32,00

    Após grande sucesso na França - onde teve três livros traduzidos -, o paraense Edyr Augusto lança um novo romance noir de tirar o fôlego. Em Pssica, que na gíria regional quer dizer 'azar', 'maldição', a narrativa se desdobra em torno do tráfico de mulheres. Uma adolescente é raptada no centro de Belém do Pará e vendida como escrava branca para casas de show e prostituição em Caiena. Um imigrante angolano vai parar em Curralinho, no Marajó, onde monta uma pequena mercearia, que é atacada por ratos d'água (ladrões que roubam mercadorias das embarcações, os piratas da Amazônia) e, em seguida, entra em uma busca frenética para vingar a esposa assassinada. Entre os assaltantes está um garoto que logo assumirá a chefia do grupo. Esses três personagens se enco ...

    Ano de publicação 2015.