• Minhas compras
  • Entrar
  • Jesus Ranieri
    Jesus Ranieri autor

    Jesus Ranieri é paulista, doutor em Ciências Sociais pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp e professor de Sociologia no Departamento de Ciências Humanas da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp, campus de Bauru. Co-organizou o livro A obra teórica de Marx: atualidade, problemas e interpretações (Xamã, 2000). 

triangulo
  • R$ 29,40

    Publicados apenas após sua morte, os Manuscritos foram escritos em 1844, quando Marx tinha apenas 26 anos e antes do seu célebre encontro com Engels. Os Manuscritos econômico-filosóficos ou Manuscritos de Paris apresentam a planta fundamental do pensamento de Marx: a concentração de sua filosofia na crítica da economia nacional de Adam Smith, J.B. Say e David Ricardo. Na obra, Marx expõe a discrepância entre moral e economia, denunciando a radicalidade da exploração do homem pela empresa capitalista. Enquanto a reprodução do capital é o único objetivo da produção, o trabalhador ganha apenas para sustentar suas necessidades mais vitais, ou seja, para não morrer e poder continuar produzindo.O fundamento da teoria do mais-valor, desenvolvida mais tarde em O Capital ...

    Ano de publicação 2004.

  • R$ 49,00

    Em homenagem à trajetória intelectual de um dos maiores pensadores marxistas da atualidade, a Boitempo publica István Mészáros e os desafios do tempo histórico, coletânea de ensaios de renomados intelectuais do Brasil e do exterior sobre os escritos fundamentais do filósofo húngaro. O livro traz as reflexões que resultaram da última visita de István Mészáros ao país, em 2009, quando foi tema do III Seminário Internacional Margem Esquerda e palestrou em universidades de oito cidades brasileiras, com público estimado de 4 mil pessoas. Figuram na lista 22 articulistas convidados a revelar o arcabouço intelectual mészáriano, de militância e comprometimento absoluto com uma mudança social radical da sociedade.Organizados em dezoito mesas de debate que refletiram ...

    Ano de publicação 2011.

  • R$ 69,00

    Em O Deus Dinheiro, o artista espanhol Maguma cria um mundo surreal alimentado pelo desejo insaciável do consumismo, baseado no conto bíblico da Queda e em extratos dos Manuscritos econômico-filosóficos, escrito por Karl Marx em 1844.À época, Marx era um jovem contestador e crítico de um ainda emergente mundo de ganância e consumo desenfreado. Neste impactante e feroz narrativa visual sobre o mundo em que vivemos hoje, Maguma recria esse histórico desabafo contra o poder hipnotizante do dinheiro no contexto dos desdobramentos contemporâneos do capitalismo, em que a disseminação da avareza em escala global está nos conduzindo à extinção dos bens comuns. ...

    Ano de publicação 2018.

  • A câmara escura Alienação e estranhamento em Marx
    Livro indisponível

    Entäusserung e Entfremdung são frequentemente traduzidos como alienação, designando algo negativo e entorpecedor das relações humanas. Mas a noção que Marx tem de alienação (Entäusserung) pode ser distinta da de estranhamento (Entfremdung). Alienação está voltada à atividade, às objetivações que, na história, constituíram o ser racional da humanidade. Estranhamento, ao contrário, articula-se a partir da sedimentação dos obstáculos que impedem que o ser social se realize. No momento em que a produção é apropriada por um segmento diferente daquele encarregado da produção, tem-se o estranhamento. A câmara escura, inspirado em Marx, na tese de que o trabalho é um elemento fundante da sociabilidade humana, nos sugere que o fenômeno da alienação/estran ...

    Ano de publicação 2001.

  • Trabalho e dialética Hegel, Marx e a teoria social do devir
    R$ 38,00

    Em seu novo livro, Trabalho e dialética: Hegel, Marx e a teoria social do devir, o professor de sociologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Jesus Ranieri demonstra a atualidade e relevância das contribuições de G. W. F. Hegel, Karl Marx e György Lukács em uma análise que busca responder aos impasses teóricos, éticos e sociopolíticos abertos pela crise permanente da modernidade. Nesta obra, o autor aponta semelhanças profundas entre o conjunto de seu trabalho e a interpretação lukacsiana da obra de Hegel, para ele uma das mais originais e férteis, principalmente no que diz respeito à influência deste no pensamento de Marx.'Lukács nos permite perceber uma unidade entre Hegel e Marx que não é possível encontrar de forma nítida nem nos próprios tex ...

    Ano de publicação 2011.