• Minhas compras
  • Entrar

Mudamos nossa loja virtual para melhor atendê-lo. Se você já é cliente, utilize a funcionalidade de "Esqueci minha senha" para atualizar seu acesso e fazer o login.

Minhas Compras

Não há produtos no carrinho.

  • Emir Sader
    Emir Sader autor

    Emir Sader nasceu em São Paulo, em 1943. Formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo, é cientista político e professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). É secretário-executivo do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso) e coordenador-geral do Laboratório de Políticas Públicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Coordena a coleção Pauliceia, publicada pela Boitempo. É colunista da Carta Maior e do Blog da Boitempo, com o qual contribui quinzenalmente, às quartas.   Breve biografia de Emir Sader por Carlos Eduardo Martins Emir Sader nasceu em 1943, em São Paulo, segundo filho do imigrante libanês, Nahul Sader, e da professora de piano Ercilia Simão, pais também de Eder Sader e Eliana Sader. Emir estudou no Grupo Escolar Floriano Peixoto, engajou-se no movimento estudantil e a partir de então passou a sofrer forte influência do tio Aziz Simão – que se tornará professor de sociologia da USP após a cegueira interrompe-lhe a carreira de farmácia –, para quem lia junto com seu irmão Eder os clássicos da sociologia. Através de Aziz, Emir entrou em contato com grandes intelectuais do pensamento crítico paulista como Antonio Cândido, Florestan Fernandes e Paulo Emílio Salles Gomes. Seu engajamento político o levou a formar, com Eder, a Política Operária (POLOP) que reuniu um grupo dirigente cujos integrantes se destacariam mais tarde como importantes referências intelectuais da esquerda latino-americana e mundial, como Ruy Mauro Marini, Michael Löwy, Theotonio dos Santos, Vânia Bambirra, Moniz Bandeira e Paul Singer, entre outros. Ingressou em 1962 no curso de filosofia da USP, onde graduou-se em 1965. Mestre em filosofia política, em 1968 defendeu a dissertação Estado e Política em Marx, frente à banca examinadora composta por Ruy Fausto, Bento Prado Jr. e Jose Arthur Gianotti. Perseguido politicamente pela ditadura, Emir passou a clandestinidade em 1970 e ao exílio no Chile, sendo condenado pelo regime militar, à revelia, a dois anos de prisão. No Chile tornou-se professor assistente da Faculdade de Economia da Universidade do Chile e vinculou-se como pesquisador ao Centro de Estudos Sócio-econômicos (CESO) que reunirá parte do pensamento crítico mundial em seminários e conferências de grande impacto e notoriedade. Esta experiência foi destruída em 1973, pelo golpe militar chileno, quando então passou ao segundo exílio em Buenos Aires – onde sua segunda companheira, Maria Regina Marcondes Pinto, é assassinada e desaparecida pela Operação Condor durante a ditadura de militar dirigida por Jorge Rafael Videla –, seguido de períodos em Paris, Roma e finalmente Havana. Retornou ao Brasil em 1983, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT) e defendeu sua tese de doutorado em 1987, A crise hegemônica e sua ideologia: teorias do Estado brasileiro durante o regime militar, orientada por Francisco Weffort. Tornou-se por concurso professor do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (UERJ) em 1987-88, do Departamento de Sociologia (USP), entre 1988-97, e do Departamento de Políticas Sociais da Faculdade  de Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1993-2009. Pesquisador do FLACSO (1986-88), coordenador do Programa de Estudos da América Latina e o Caribe do Centro de Ciências Sociais da UERJ (1996-1999), Emir Sader foi eleito Presidente da Associação Latino-americana de Sociologia (ALAS) entre 1997-99. Atualmente é Secretário-Executivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO), por dois mandatos consecutivos, 2006-09 e 2009-2012, coordena o Laboratório de Políticas Públicas da UERJ, desde 2000, e leciona no Departamento de História da UERJ desde 2009.  É autor de uma vasta obra bibliográfica, composta por 96 livros (entre autoria, co-autoria e organização), 154 publicações como capítulos de livros, 243 em periódicos e 736 em jornais de notícias e revistas. Foi ainda o organizador (com Ivana Jinkings, Carlos Eduardo Martins e Rodrigo Nobile), autor e principal idealizador da Latinoamericana: Enciclopédia Contemporânea de América Latina e do Caribe, vencedora do prêmio Jabuti de melhor livro do ano de não-ficção em 2007. Entre seus livros mais recentes estão A nova toupeira – Os caminhos da esquerda latino-americana – traduzido e publicado na Argentina, na Espanha e na Inglaterra –, de sua autoria, e O Brasil, entre o passado e o futuro – este organizado em parceria com Marco Aurélio Garcia –, ambos publicados pela Boitempo Editorial.  

  • 1
  • /
  • 3
triangulo
  • R$ 48,00

    O título parece uma provocação. Mas, longe disso, Brasil, país do passado? é uma reflexão coletiva sobre os destinos do Brasil, tendo como ponto de partida o clássico Brasil, país do futuro, escrito em 1941 por Stefan Zweig em seu exílio tropical.

    Os autores fazem aqui um inventário das principais ideias de Antonio Callado, Betinho, Darcy Ribeiro, João Antônio, Paulo Freire e Paulo Francis, seis intelectuais que tiveram em comum uma imensa militância teórica e prática contra a ditadura, mas que tomaram rumos os mais diversos na chamada abertura democrática.

    Escrito por brasileiros e europeus, expondo assim o confronto de olhares entre ...

    Ano de publicação 2000.

  • R$ 44,00

    Edward Said imprime uma visão universalista em suas análises sobre a questão palestina, inserindo-a no conjunto das grandes lutas pelo reconhecimento de todos os povos a afirmar sua identidade e ter sua expressão política. Em seus livros e artigos, denuncia o racismo ocidentalista, que tenta se legitimar como visão hegemônica do mundo, opõe-se corajosamente à criminalização da luta do povo palestino e de todos aqueles considerados fora dos padrões da chamada civilização ocidental e luta contra a desqualificação da intelectualidade crítica como forma de restrição ao debate acadêmico e político.

    Cultura e política

    Ano de publicação 2003.

  • R$ 44,00

    "Quase se conta nos dedos das mãos o número daqueles que procuram, no Brasil, pensar a política, pensar o próprio país. Isso explica, em grande parte, a falta de uma formulação prévia da esquerda para sua chegada ao poder, por intermédio do Partido dos Trabalhadores, com a tarefa de descer a cortina sobre o neoliberalismo, fechar as portas ao Consenso de Washington e iniciar o erguimento de um Brasil mais justo consigo e com os seus.

    A crítica acadêmica ao neoliberalismo do governo de Fernando Henrique Cardoso não foi escassa (embora devesse ser muito mais farta), mas não se aproximou sequer do esboço de teorização da perspectiva de pós-neolibera ...

    Ano de publicação 2003.

  • Margem Esquerda n. 2 Dossiê: Cuba e os rumos da revolução
    R$ 30,00

    Palco da única revolução socialista vitoriosa no Ocidente, Cuba continua sendo uma das referências centrais da esquerda em todo o mundo. Aqui, Margem Esquerda discute os rumos dessa revolução em um dossiê que traz artigos de István Mészáros, Jacob Gorender, Emir Sader, José Paulo Netto, Jesús Pastor e Ivana Jinkings.

    Em seu segundo número, a revista procura também responder a alguns desafios colocados àqueles que querem mudar o mundo. Bernardo Mançano Fernandes e Canrobert Costa Neto escrevem sobre reforma agrária; Maria Lygia Quartim de Moraes discorre acerca das relações entre feminismo e marxismo; Alex Callinicos comenta Pierre ...

    Ano de publicação 2003.

  • Margem Esquerda n. 3 Dossiê: 40 anos do Golpe de 64
    R$ 30,00

    Quarenta anos do golpe militar. Diante do revisionismo da história feitos por setores que apoiaram o golpe, Margem Esquerda traz um dôssie sobre a ditadura com textos de Jacob Gorender, Leandro Konder, Flávio Aguiar, Ruy Mauro Marini, Augusto Boal e Marcelo Ridenti.

    Entre os outros destaques deste número da revista, a entrevista com o crítico, professor e roteirista de cinema Jean-Claude Bernardet, sobre sua formação e a relação cinema e política; o discurso de Francisco de Oliveira sobre a conjuntura latino-americana na abertura da Conferência da Clacso, em Cuba; as homenagens a Edward Said, Otávio Ianni e Paul Swezzy; e artigos de Michael Löwi, José Luís Fior ...

    Ano de publicação 2004.

  • Margem Esquerda n. 4 Dossiê: Partido Político
    R$ 30,00

    No momento em que intelectuais discutem voto nulo, resistência dentro e fora do Partido dos Trabalhadores e alternativas de esquerda a esse partido (como PSOL e PSTU), a revista Margem Esquerda traz em seu quarto número um dossiê com seis ensaios que discutem o lugar da representação política e o papel dos partidos no mundo atual. Estariam superados por organizações não governamentais, estruturas horizontais em rede e/ou movimentos sociais? Ou manteriam sua pertinência, apesar de seu fracasso e deslegitimação em vários países?

    O debate aborda da teoria leninista de organização ao desafio de construir um novo partido, passando pela concepçã ...

    Ano de publicação 2004.

  • R$ 32,00

    2ª EDIÇÃO AMPLIADA
    Inclui o apêndice: "Educação: o desenvolvimento contínuo da consciência socialista"

    Ano de publicação 2005.

  • Margem Esquerda n. 6 ensaios marxistas
    R$ 30,00

    Na sua sexta edição, a revista Margem Esquerda traz um dossiê sobre conservadorismo e medo na sociedade contemporânea. Do projeto dos neoconservadores norte-americanos ao medo na mídia, nas artes e na cultura, Flávio Aguiar, Otília Arantes, Argemiro Ferreira e Luis Antonio Magalhães analisam a contra-ofensiva reacionária das últimas décadas.

    Outro destaque desta edição é uma homenagem a Florestan Fernandes, nos dez anos de sua morte, com textos de Sedi Hirano e Miriam Limoeiro Cardoso.

    Entre os artigos, um inédito de Raymond Williams, João Reis da Silva Jr. analisando a política econômica do governo Lula, e uma extensa pesquisa d ...

    Ano de publicação 2005.

  • Fidel Castro biografia a duas vozes
    R$ 79,00

    "O volume de informações contidas nesta obra faz com que Fidel Castro: biografia a duas vozes deixe de ser apenas um livro que se lê numa sentada para se converter em uma referência permanente para quem quiser entender melhor a história desse homem, Fidel Castro, e de sua Revolução Cubana. Este é, sem dúvida, um livro indispensável.” (Fernando Morais)

    Poucas pessoas podem, em vida, saber-se parte da história. Mais rara ainda é a chance de um personagem histórico refletir sobre sua trajetória política de mais de meio século e projetar suas ideias para o futuro. Fidel Castro: biografia a duas vozes, do jornalista franco-espanhol Ignacio ...

    Ano de publicação 2006.

  • As utopias de Michael Löwy reflexões sobre um marxista insubordinado
    R$ 44,00

    "O marxismo demonstrou ao longo dos anos, e sobretudo no século XX, uma incrível capacidade de expandir-se e de dar conta de territórios que lhe pareciam hostis, como a religião e a psicanálise. A obra de Michael Löwy colaborou para essa expansão com grande inventividade – até mesmo no terreno da economia política, aquele para o qual o marxismo precisa com urgência se voltar.

    A compreensão da trajetória de Löwy, um dos mais importantes pensadores brasileiros, se torna absolutamente necessária em um momento em que se buscam novas interpretações do marxismo. As utopias de Michael Löwy: reflexões sobre um marxista insubordinado re&uac ...

    Ano de publicação 2007.

  • Margem Esquerda n.10 Dossiês: 90 anos da Revolução Russa + Em defesa da universidade pública
    R$ 30,00

    O décimo número da revista Margem Esquerda é dedicado aos 40 anos da morte de Ernesto Che Guevara e aos 90 anos da Revolução Russa. A publicação traz um dossiê especial com textos de Moshe Lewin, um dos mais respeitados estudiosos da vitória bolchevique, que analisa a dinâmica de governo dos sovietes.

    Virginia Fontes debate a atualidade do pensamento de Lenin sobre o imperialismo, enquanto a transcedência da Revolução e a situação atual da Rússia são analisadas por Tony Wood. Além disso, as “Cartas de longe” de Lenin, escritas na Suíça entre março e abril de 1917, compõem a seção &ldquo ...

    Ano de publicação 2007.

  • A ideologia alemã crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas
    R$ 84,00

    Chega às livrarias a aguardada edição integral de A ideologia alemã, de Karl Marx e Friedrich Engels. Traduzida diretamente do alemão para o português por Rubens Enderle, Nélio Schneider e Luciano Martorano, com texto final de Rubens Enderle, a edição da Boitempo tem introdução escrita por Emir Sader e supervisão editorial de Leandro Konder, um dos maiores estudiosos do marxismo no Brasil. Além disso, será a versão mais fiel aos originais deixados pelos autores, pois é a primeira no mundo traduzida a partir da inovadora Mega-2.

    Essa nova edição cuidadosa, que se tornará referência para todos os interessados nos escritos de Marx e E ...

    Ano de publicação 2007.

  • 1
  • /
  • 3