• Minhas compras
  • Entrar
  • István Mészáros
    István Mészáros autor

    István Mészáros nasceu em Budapeste, na Hungria, em 1930. Gradou-se em Filosofia na Universidade de Budapeste, onde foi assistente de György Lukács no Instituto da Estética. Deixou o país após o levante de outubro de 1956 e exilou-se na Itália, onde trabalhou na Universidade de Turim. Posteriormente, ministrou aulas nas universidades de Londres (Inglaterra), St. Andrews (Escócia) e Sussex (Inglaterra), além de na Universidade Nacional Autônoma do México e na Universidade de York (Canadá). Em 1977, retornou à Universidade de Sussex, onde recebeu, catornze anos depois, o título de Professor Emérito de Filosofia. Permaneceu nessa universidade até 1995, quando se afastou as atividades docentes - mesmo ano em que foi eleito membro da Academia Húngara de Ciências. É reconhecido como um dos principais intelectuais marxistas contemporâneos e recebeu, entre outras distinções, o Deutscher Memorial Prize, em 1970, por A teoria da alienação em Marx, o título de Pesquisador Emérito da Academia de Ciências Cubana, em 2006, e o Premio Libertador al Piensamiento Crítico, em 2008, concedido pelo Ministério da Cultura da Venezuela, por sua obra O desafio e o fardo do tempo histórico. Atualmente vive em Ramsgate, na Inglaterra. Sobre sua obra, a Boitempo publicou: Para além do capital (2002), O século XXI (2003), O poder da ideologia (2004), A educação para além do capital (2005), O desafio e o fardo do tempo histórico (2007), Filosofia, ideologia e ciência social (2008), A crise estrutural do capital (2009), Estrutura social e formas de consciência, v. I e II (2009 e 2011), Atualidade histórica da ofensiva socialista (2010), A obra de Sartre (2012), O conceito de dialética em Lukács (2013) e A montanha que devemos conquistar (2015).

  • 1
  • /
  • 2
triangulo
  • R$ 22,40

    O ensaio que dá título a este volume foi escrito por István Mészáros para a conferência de abertura do Fórum Mundial de Educação, realizado em Porto Alegre, em 2004. Nesse texto, o professor emérito da Universidade de Sussex procura afirmar, entre outras coisas, que a educação não é um negócio, é criação. Que educação não deve qualificar para o mercado, mas para a vida. Na sessão inaugural do ginásio Gigantinho, enfatizou o sentido mais enraizado da frase 'a educação não é uma mercadoria'. ...

    Ano de publicação 2005.

  • Margem esquerda 08 Dossiê: Violência urbana
    R$ 30,00

    Nesta edição de Margem Esquerda, o dossiê temático, coordenado pelo filósofo Paulo Arantes, trata da violência urbana. Loïc Wacquant e Maria Orlanda Pinassi, entre outros autores, analisam as várias facetas do tema. Na periferia das grandes metrópoles, cresce a quantidade de crianças e jovens órfãos da urbanização, vítimas da violência e da marginalidade. Verdadeiros “excedentes” humanos, são alvos fáceis e permanentes do crime, que se torna parte estruturante da reprodução do capital. Os artigos mostram como a utopia do progresso e do bem-estar transformou-se em seu oposto: proliferam os espaços de insegurança, de vio ...

    Ano de publicação 2006.

  • Margem Esquerda 09 Dossiê: América Latina: continuísmo ou rupturas?
    R$ 30,00

    Nesta nona edição da revista Margem Esquerda, as novidades políticas da América Latina são o tema do dossiê organizado por Maria Orlanda Pinassi e Paulo Arantes. Um continente “entre a reforma e a revolução”, na expressão do intelectual português Miguel Urbano Rodrigues, que em seu artigo relata a crescente contestação ao segundo mandato de Álvaro Uribe, na Colômbia, empreendida por sindicatos, organizações camponesas e indígenas. O dossiê também traz, entre outros textos, o trabalho do jornalista mexicano Luis Hernández Navarro sobre a organização popular que se forja por redes de solidariedade informais, como as da Com ...

    Ano de publicação 2007.

  • O desafio e o fardo do tempo histórico o socialismo no século XXI
    R$ 86,00

    Em tempos de reflexão minimalista, István Mészáros é um pensador fundamental. Em seu livro O desafio e o fardo do tempo histórico, o filósofo húngaro destrincha o caráter imperativo e destrutivo das positivações atuais do capital e aprofunda a análise do significado histórico de sua crise estrutural à luz de manifestações cada vez mais irracionais e perigosas para o futuro da humanidade. É a partir da análise de como a 'ordem estabelecida' do capital produz destruição - do tempo livre, da educação, das pessoas, da cultura, da natureza, da vida - que Mészáros reafirma a necessidade do socialismo no século XXI.Dotado de erudição rara, István Mészáros domina filosofia, economia política e teoria social como poucos. Seus textos dialogam criticamente com ...

    Ano de publicação 2007.

  • R$ 34,00

    O colapso do sistema financeiro não é a causa, mas sim a manifestação de um impasse na economia mundial. É desta forma, em oposição às linhas de interpretação hegemônicas, que István Mészáros analisa o atual período histórico em sua nova obra, A crise estrutural do capital. No livro, o filósofo desmonta uma série de ilusões associadas aos acontecimentos recentes e afirma que as raízes da crise, na verdade, encontram-se no atual estágio de desenvolvimento do capitalismo.Crise dos subprime, crise especulativa, crise bancária, crise financeira - os nomes são muitos para a imensa expansão da aventura especulativa, que abalou o capital financeiro e, naturalmente, os ramos produtivos das economias. Em resposta, governos e instituições globais jogam trilhões d ...

    Ano de publicação 2009.

  • Atualidade histórica da ofensiva socialista uma alternativa radical ao sistema parlamentar
    R$ 42,00

    Em Atualidade histórica da ofensiva socialista - uma alternativa radical ao sistema parlamentar, o marxista húngaro István Mészáros propõe um enfrentamento aos 'graves problemas de nossa 'política democrática'' como forma de responder à indagação: o que continua irremediavelmente errado no que se refere às genuínas expectativas socialistas? Fugindo de explicações simplistas que apontam 'traições' no momento da chegada ao poder, Mészáros aponta para a necessidade de uma crítica profunda da concepção que vê na disputa dentro do sistema parlamentar um cenário de construção de transformações sociais.Segundo ele, o discurso político tradicional proclama o sistema parlamentar como 'o centro de referência necessário de toda mudança legítima', tratando c ...

    Ano de publicação 2010.

  • Margem Esquerda 17 Dossiê: Novas perspectivas do socialismo
    R$ 30,00

    O capitalismo atingiu um beco sem saída? A perspectiva de uma crise econômica crônica, o colapso do Estado de bem-estar social nas economias avançadas e a catástrofe ecológica abalaram as bases dos argumentos em favor do capitalismo. Nesse contexto e tendo em vista os desafios do século 21, repensar o socialismo é um projeto viável? João Alexandre Peschanski, integrante do comitê de redação da revista Margem Esquerda, organiza neste número 17 um dossiê especial sobre a viabilidade de alternativas ao capitalismo e como alcançá-las. O economista canadense Michael Lebowitz recupera elementos-chave do pensamento de Marx sobre o socialismo e, com base neles, avalia a e ...

    Ano de publicação 2011.

  • Estrutura social e formas de consciência II A dialética da estrutura e da história
    R$ 64,00

    Com o segundo volume de Estrutura social e formas de consciência, a grande obra do filósofo húngaro István Mészáros revela uma iluminadora sistematização metodológica da dialética da estrutura e da história, radicada na abordagem marxiana.Assim como Marx em sua época, Mészáros combate as mistificações da 'ciência' submetida aos imperativos alienantes necessários à reprodução atual do capital. Enquanto a crítica de Marx fincou raízes na fase ascendente do sistema sociometabólico do capital - momento em que a apologética científica ainda conseguia velar tanto pelos progressos materiais que a sociedade do trabalho abstrato e alienado haveria de produzir como pelos princípios políticos conquistados pela revolução burguesa -, a radicalidade das análises ...

    Ano de publicação 2011.

  • A obra de Sartre Busca da liberdade e desafio da história
    R$ 63,00

    Publicado originalmente em 1979, o livro A obra de Sartre: busca da liberdade deveria ter tido um segundo volume intitulado O desafio da história, o qual analisaria a concepção sartriana de história. Devido a outros projetos, entre os quais a obra-prima. Para além do capital, István Mészáros pôde retomar essa análise somente na presente edição, ampliada e atualizada, que a Boitempo disponibiliza ao leitor de língua portuguesa antes mesmo de seu lançamento em inglês. O livro tem o mérito de situar Jean-Paul Sartre em relação ao pensamento do século XX e abordar sua trajetória em todas as suas manifestações - como romancista, dramaturgo, filósofo e militante político.Escritor algum foi alvo de tantos ataques, de origens mais variadas e poderosas, quanto Sart ...

    Ano de publicação 2012.

  • A montanha que devemos conquistar reflexões acerca do Estado
    R$ 40,00

    Em A montanha que devemos conquistar, o filófoso húngaro Istvan Mészáros aborda um tema que tem tradição no pensamento marxista: o Estado. Partindo de Platão e Aristóteles e fazendo de Hobbes e, especialmente, Hegel, seus principais interlocutores, o autor discorre não apenas sobre o Estado e o campo político em disputa, mas também sobre a sociabilidade capitalista numa época em que o sistema tornou-se efetivamente global. 'As crises do capitalismo recolocaram o papel do Estado no centro do debate teórico. Em tempos de reflexões acadêmicas minimalistas e ultraespecíficas, István Mészáros emerge como um pensador fundamental', afirma Ivana Jinkings, diretora editorial da Boitempo, no prefácio. 'Seu trabalho dialoga criticamente com toda a produção relevante do ...

    Ano de publicação 2014.

  • R$ 66,00

    Quando A teoria da alienação em Marx foi publicado pela primeira vez, em 1970, seu autor, o filósofo húngaro István Mészáros, já enfatizava a necessidade de se pensar sobre os efeitos nocivos da globalização capitalista. Passados mais de 35 anos, o livro, agora relançado pela Boitempo em nova tradução, mantém sua atualidade ao mostrar que a crença nesse sistema como solução para nossos problemas socioeconômicos é mais um sinal de seu caráter alienante: 'a verdade incômoda' - argumenta Mészáros - é que a crise estrutural do sistema do capital 'se aprofunda com o passar do tempo, acarretando destrutividade para todo domínio vital'. Esta obra é uma tentativa de transcender esse impasse. Como? Mostrando de que forma o capitalismo interfere em nossa capacidad ...

    Ano de publicação 2016.

  • A revolta dos intelectuais na Hungria Dos debates sobre Lukács e Tibor Déry ao Círculo Petöfi
    R$ 49,00

    Um ano após a morte do filósofo marxista István Mészáros, a Boitempo publica A revolta dos intelectuais na Hungria, primeira obra do autor num exílio que se tornaria definitivo. Publicado originalmente na Itália, em 1958, menos de dois anos após a Revolução Húngara de 1956, esse testemunho de grande valor histórico completa sessenta anos sem perder sua atualidade. Um jovem Mészáros fornece ao leitor uma série de informações e análises em primeira mão sobre as atividades dos intelectuais e das instituições e a grande 'reviravolta' que levaria à involução e à supressão de todas as liberdades democráticas. Esses eventos marcaram de forma profunda o desenvolvimento de seu pensamento e de sua vida.Para além de seu papel como representante da jovem geração ...

    Ano de publicação 2018.

  • 1
  • /
  • 2