• Judith Butler
    Judith Butler autor

    Filósofa e professora da Universidade da Califórnia, Judith Butler possui uma extensa obra que, sempre em diálogo com a teoria crítica e a psicanálise, busca investigar questões como identidade e performatividade de gênero, ética e política das relações sociais, poder do Estado, vida e morte. Autora de diversas obras, pela Boitempo publicou Caminhos divergentes: judaicidade e crítica do sionismo (2017) e A força da não violência (2021). 

triangulo
  • R$ 65,00

    Mulheres, raça e classe, de Angela Davis, é uma obra fundamental para se entender as nuances das opressões. Começar o livro tratando da escravidão e de seus efeitos, da forma pela qual a mulher negra foi desumanizada, nos dá a dimensão da impossibilidade de se pensar um projeto de nação que desconsidere a centralidade da questão racial, já que as sociedades escravocratas foram fundadas no racismo. Além disso, a autora mostra a necessidade da não hierarquização das opressões, ou seja, o quanto é preciso considerar a intersecção de raça, classe e gênero para possibilitar um novo modelo de sociedade. Davis apresenta o debate sobre o abolic ...

    Ano de publicação 2016.

  • Caminhos divergentes judaicidade e crítica do sionismo
    R$ 75,00

    Figura pop associada à teoria queer, Judith Butler contribui em um campo de estudo muito mais amplo do que apenas o da identidade de gênero. Em Caminhos divergentes, a partir de uma urgência pessoal, Butler retoma e corrobora uma das últimas ideias de Edward Said - a ideia de que é possível forjar um novo éthos para uma solução uniestatal se considerarmos a despossessão palestina em relação às tradições diaspóricas judaicas. Butler usa as posições filosóficas judaicas para articular uma crítica do sionismo político e suas práticas de violência estatal ilegítima, nacionalismo e racismo patrocinado pelo Estado. Al&eacut ...

    Ano de publicação 2017.

  • R$ 45,00

    O novo livro da ativista política Angela Davis reúne uma ampla seleção de seus artigos, discursos e entrevistas recentes realizados em diferentes países entre 2013 e 2015, organizados pelo militante dos direitos humanos Frank Barat. Os textos trazem reflexões sobre como as lutas históricas do movimento negro e do feminismo negro nos Estados Unidos e a luta contra o apartheid na África do Sul se relacionam com os movimentos atuais pelo abolicionismo prisional e com a luta anticolonial na Palestina. Além de sua reconhecida atuação política no combate ao racismo, Davis denuncia também o sexismo, demonstrando de forma muito objetiva a relação entre a violência contra a mulhe ...

    Ano de publicação 2018.

  • Margem Esquerda 33 Dossiê: Marxismo e lutas LGBT
    R$ 47,00

    Em pleno governo Bolsonaro, a revista da Boitempo lança um número especial dedicado a enfrentar as articulações e tensões produtivas entre marxismo e lutas LGBT, para além da querela da “cortina de fumaça”. O dossiê de capa, coordenado por Lucas Bulgarelli, traz textos de Renan Quinalha, Amanda Palha, Isadora Lins França e Rafael Dias Toitio que abordam a questão de diversas perspectivas. A entrevista exclusiva que abre a edição é com a filósofa e ativista estadunidense Judith Butler, um dos nomes mais proeminentes do feminismo, dos estudos queer e da teoria crítica na atualidade. Em diálogo com o dossiê, se somam à edição ...

    Ano de publicação 2023.

  • A força da não violência um vínculo ético-político
    R$ 49,00

    Você conhece o Armas da crítica?  Confira  aqui  mais informações sobre o clube do livro da Boitempo e acesse  aqui  o guia de leitura de A força da não violência, livro 9 do clube. __________________________________________   Em A força da não violência, Judith Butler percorre discussões da filosofia, da ciência política e da psicanálise para reavaliar o que chamamos de violência e não violência e o modo como essas duas expressões se tornam intercambiáveis quando colocadas a serviço, por exemplo, de uma perspectiva individualista das relações sociais ou ...

    Ano de publicação 2021.

  • R$ 74,70

    Neste seu primeiro livro não acadêmico, Judith Butler analisa como o “gênero” se tornou central em discursos conservadores e reacionários, um fantasma com o objetivo de criar pânico moral e angariar apoio popular a projetos políticos fascistas, autoritários e excludentes. Intervenção essencial em uma das questões mais inflamadas da atualidade, Quem tem medo do gênero? é uma convocatória arrojada a construir uma coalizão ampla contra as novas formas do fascismo. “É  crucial que a política de gênero se oponha ao neoliberalismo e a outras formas de devastação capitalista e não se torne seu instrumento”, insiste Butle ...

    Ano de publicação 2024.