• Minhas compras
  • Entrar
  • Emir Sader
    Emir Sader autor

    Emir Sader nasceu em São Paulo, em 1943. Formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo, é cientista político e professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). É secretário-executivo do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso) e coordenador-geral do Laboratório de Políticas Públicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Coordena a coleção Pauliceia, publicada pela Boitempo. É colunista da Carta Maior e do Blog da Boitempo, com o qual contribui quinzenalmente, às quartas.   Breve biografia de Emir Sader por Carlos Eduardo Martins Emir Sader nasceu em 1943, em São Paulo, segundo filho do imigrante libanês, Nahul Sader, e da professora de piano Ercilia Simão, pais também de Eder Sader e Eliana Sader. Emir estudou no Grupo Escolar Floriano Peixoto, engajou-se no movimento estudantil e a partir de então passou a sofrer forte influência do tio Aziz Simão – que se tornará professor de sociologia da USP após a cegueira interrompe-lhe a carreira de farmácia –, para quem lia junto com seu irmão Eder os clássicos da sociologia. Através de Aziz, Emir entrou em contato com grandes intelectuais do pensamento crítico paulista como Antonio Cândido, Florestan Fernandes e Paulo Emílio Salles Gomes. Seu engajamento político o levou a formar, com Eder, a Política Operária (POLOP) que reuniu um grupo dirigente cujos integrantes se destacariam mais tarde como importantes referências intelectuais da esquerda latino-americana e mundial, como Ruy Mauro Marini, Michael Löwy, Theotonio dos Santos, Vânia Bambirra, Moniz Bandeira e Paul Singer, entre outros. Ingressou em 1962 no curso de filosofia da USP, onde graduou-se em 1965. Mestre em filosofia política, em 1968 defendeu a dissertação Estado e Política em Marx, frente à banca examinadora composta por Ruy Fausto, Bento Prado Jr. e Jose Arthur Gianotti. Perseguido politicamente pela ditadura, Emir passou a clandestinidade em 1970 e ao exílio no Chile, sendo condenado pelo regime militar, à revelia, a dois anos de prisão. No Chile tornou-se professor assistente da Faculdade de Economia da Universidade do Chile e vinculou-se como pesquisador ao Centro de Estudos Sócio-econômicos (CESO) que reunirá parte do pensamento crítico mundial em seminários e conferências de grande impacto e notoriedade. Esta experiência foi destruída em 1973, pelo golpe militar chileno, quando então passou ao segundo exílio em Buenos Aires – onde sua segunda companheira, Maria Regina Marcondes Pinto, é assassinada e desaparecida pela Operação Condor durante a ditadura de militar dirigida por Jorge Rafael Videla –, seguido de períodos em Paris, Roma e finalmente Havana. Retornou ao Brasil em 1983, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT) e defendeu sua tese de doutorado em 1987, A crise hegemônica e sua ideologia: teorias do Estado brasileiro durante o regime militar, orientada por Francisco Weffort. Tornou-se por concurso professor do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (UERJ) em 1987-88, do Departamento de Sociologia (USP), entre 1988-97, e do Departamento de Políticas Sociais da Faculdade  de Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1993-2009. Pesquisador do FLACSO (1986-88), coordenador do Programa de Estudos da América Latina e o Caribe do Centro de Ciências Sociais da UERJ (1996-1999), Emir Sader foi eleito Presidente da Associação Latino-americana de Sociologia (ALAS) entre 1997-99. Atualmente é Secretário-Executivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO), por dois mandatos consecutivos, 2006-09 e 2009-2012, coordena o Laboratório de Políticas Públicas da UERJ, desde 2000, e leciona no Departamento de História da UERJ desde 2009.  É autor de uma vasta obra bibliográfica, composta por 96 livros (entre autoria, co-autoria e organização), 154 publicações como capítulos de livros, 243 em periódicos e 736 em jornais de notícias e revistas. Foi ainda o organizador (com Ivana Jinkings, Carlos Eduardo Martins e Rodrigo Nobile), autor e principal idealizador da Latinoamericana: Enciclopédia Contemporânea de América Latina e do Caribe, vencedora do prêmio Jabuti de melhor livro do ano de não-ficção em 2007. Entre seus livros mais recentes estão A nova toupeira – Os caminhos da esquerda latino-americana – traduzido e publicado na Argentina, na Espanha e na Inglaterra –, de sua autoria, e O Brasil, entre o passado e o futuro – este organizado em parceria com Marco Aurélio Garcia –, ambos publicados pela Boitempo Editorial.  

  • 2
  • /
  • 3
triangulo
  • As armas da crítica antologia do pensamento de esquerda
    R$ 59,00

    Quase cem anos depois da primeira revolta proletária bem-sucedida no mundo, a Revolução Russa, quando a palavra 'revolução' de certo modo se banaliza e alguns chegam a proclamar o fim da história, a Boitempo Editorial publica uma antologia organizada por Emir Sader e Ivana Jinkings que reúne alguns dos principais textos 'clássicos' do pensamento marxista. As armas da crítica, organizado por Ivana Jinkings e Emir Sader, traz textos de Karl Marx, Friedrich Engels, Vladimir Lenin, Leon Trotski, Rosa Luxemburgo e Antonio Gramsci.A escolha pelos marxistas para esta coleção se deve ao fato de o marxismo constituir a espinha dorsal das teorias e práticas da esquerda desde que esta se firm ...

    Ano de publicação 2012.

  • Margem Esquerda 23 Dossiê: Brasil, que desenvolvimento?
    R$ 33,00

    Brasil, crescimento ou estagnação? Desenvolvimento ou desindustrialização? Em ano de eleições, polarizadas como poucas vezes se viu, a edição 23 da revista Margem Esquerda se propõe a discutir o presente e o futuro de nosso país. “Onda conservadora” de um lado – representada pela figura do tucano Aécio Neves – e a resistência democrática de outro, formada em torno da petista Dilma Rousseff, colocam em pauta diferentes projetos ou distintas nuances para o Brasil. Quais as causas e quais as extensões das turbulências que acometem a economia nos dias que correm? O dossiê “Brasil, que desenvolvimento?”, centrado no principal embate te&oac ...

    Ano de publicação 2014.

  • R$ 41,00

    O século XXI segue permeado por um dos maiores enigmas da teoria social: de que forma as elites, minoritárias, conseguem manter seu poder político? Este é o cerne da análise realizada pelo sociólogo Emir Sader em Estado e política em Marx, escrito nos densos anos 1960 como sua dissertação de mestrado em filosofia, e agora publicada pela Boitempo. Sader aventura-se a decifrar elementos indispensáveis para a compreensão desse fenômeno central no capitalismo contemporâneo, analisando o lugar da instância política nas formações sociais concretas. Nas palavras do sociólogo, 'não se trata de uma homenagem àquela juventude, mas de um reconhecimento ...

    Ano de publicação 2014.

  • Equador da noite neoliberal à Revolução Cidadã
    R$ 43,00

    Escrito entre 1993 e 2005, o primeiro livro de Rafael Correa, presidente do Equador, traz uma coletânea de artigos acadêmicos sobre os paradigmas de desenvolvimento e a política econômica que seu país vem empreendendo nas últimas décadas. Dividido em quatro partes - 'Modernidade sem desenvolvimento', 'A entrega total do país', 'Reparando injúrias' e 'Rumo a uma nova política econômica' -, Equador: da noite neoliberal à Revolução Cidadã mostra, com linguagem clara e exemplos ilustrativos, o impacto do neoliberalismo sobre a América Latina, 'sistema aplicado com as inconsistências próprias da corrupção, da necessi ...

    Ano de publicação 2015.

  • Nós que amávamos tanto O Capital leituras de Marx no Brasil
    R$ 27,00

    "Nós que amávamos tanto O capital" é resultado do Seminário Internacional "Marx: a criação destruidora", realizado pela Boitempo em parceria com o Sesc São Paulo em 2013, que recuperou os eventos ocorridos entre 1956 e 1964, quando um grupo de jovens professores da Universidade de São Paulo (USP) dá início ao estudo da obra de Marx. Esses estudos, ficaram conhecidos como Seminários Marx. Nessa coletânea, quatro participantes dos Seminários Marx expõem muito mais que seus depoimentos sobre aquela experiência: trazem para o debate atual o significado que tais estudos tiveram para a compreensão científica de realidades brasileiras que desenvolveram em seus trabalhos futuros. Roberto Schwarz, crítico literário e professor de teoria literária, traz em seu depoiment ...

    Ano de publicação 2017.

  • R$ 49,00

    A Revolução de Outubro [Oktiabrskaia Revoliutsia], de Leon Trótski, livro escrito poucos meses após a tomada do poder pelos operários e camponeses russos e publicado pela primeira vez em 1918, tinha como objetivo constituir um relato preliminar, destinado ao proletariado internacional, dos acontecimentos que levaram ao primeiro triunfo de uma revolução operária e socialista na história. Nos meses que se seguiram à sua aparição em russo, esse relato foi traduzido para diversos idiomas, incluindo o inglês, o alemão e o francês. Em cada uma dessas edições, no entanto, o livro foi publicado com um título diferente, o que terminou por contribuir para que este cl& ...

    Ano de publicação 2006.

  • R$ 69,00

    Nos ensaios Considerações sobre o marxismo ocidental (1976) e Nas trilhas do materialismo histórico (1983) - reunidos, em nova tradução, neste volume -, Perry Anderson examina meio século de trajetória do 'marxismo ocidental', vertente contraposta ao 'marxismo-leninismo' soviético de então. Partindo do estudo comparativo de trajetórias intelectuais e políticas de autores marxistas e do contexto em que viveram, o historiador britânico analisa, no primeiro ensaio, como a unidade entre teoria e prática foi afetada, a partir da década de 1920, pelo distanciamento desses intelectuais em relação à atividade política dos partidos socialistas e comu ...

    Ano de publicação 2019.

  • Livro Indisponível Avise-me quando chegar

    Nos textos escolhidos pelo cientista político e escritor brasileiro Emir Sader para compor este Afinidades seletivas, produzidos no período de pouco mais de uma década, Anderson polemiza com as posições de autores tão distintos como Isaiah Berlin (no artigo 'O Pluralismo de Berlin'), John Rawls ('Uma Teoria da Injustiça'), Marshall Berman ('Modernidade e Revolução') e Isaac Deutscher ('O Legado de Deutscher').Além destes, ele também ilumina as teorias de Antonio Gramsci ('As Antinomias de Gramsci'), Michael Mann ('A Sociologia do Poder') e Roberto Mangabeira Unger ('A Política de Engrandecimento'). Anderson nunca evitou enfrentar intelectuais ...

    Ano de publicação 2002.

  • Mudar o mundo sem tomar o poder o significado da revolução hoje
    Livro Indisponível Avise-me quando chegar

    "Que sonho! Que belo sonho! Vamos imaginar: um mundo sem políticos, sem capitalistas, sem Estado, sem capital, um mundo sem poder. Um sonho inocente e pouco realista, é verdade.Este livro é parte da luta pelo absurdo que não é absurdo, pelo impossível que é tão urgente! " Quando a esperança vencer o medo, definitiva e inequivocamente, o “grito de rebeldia” – nos campos e nas cidades, nas florestas e nas minas, nos assentamentos e nas fábricas, nas favelas e nas universidades – se fará tão forte que o mundo dos poderes imperiais e dos poderes patriarcais, das burocracias e dos capitalistas, não poderá mais se sustentar. Mais do que uma esperanç ...

    Ano de publicação 2003.

  • Margem Esquerda 07 Dossiê: Dilemas da Esquerda
    Livro Indisponível Avise-me quando chegar

    A revista Margem Esquerda começa seu quarto ano de vida discutindo os dilemas da esquerda brasileira no último ano do governo Lula e diante de um novo ciclo eleitoral. A questão é analisada sob vários ângulos e posições diferentes, desde aqueles que consideram que o PT se tornou mero gestor do neoliberalismo, como daqueles que defendem um resgate do projeto original do partido, considerando que a atual administração é um “espaço em disputa” e que o PT é ainda a melhor alternativa para acumular forças. De Gilberto Maringoni, classificando a próxima disputa eleitoral como “rumo ao quinto governo Collor”, até uma defesa da vitalidade do partido ...

    Ano de publicação 2006.

  • Fidel Castro biografia a duas vozes
    Livro Indisponível Avise-me quando chegar

    O volume de informações contidas nesta obra faz com que Fidel Castro: biografia a duas vozes deixe de ser apenas um livro que se lê numa sentada para se converter em uma referência permanente para quem quiser entender melhor a história desse homem, Fidel Castro, e de sua Revolução Cubana. Este é, sem dúvida, um livro indispensável.' (Fernando Morais)Poucas pessoas podem, em vida, saber-se parte da história. Mais rara ainda é a chance de um personagem histórico refletir sobre sua trajetória política de mais de meio século e projetar suas ideias para o futuro. Fidel Castro: biografia a duas vozes, do jornalista franco-espanhol Ignacio Ramonet, diretor do Le Monde Diplom ...

    Ano de publicação 2006.

  • Latinoamericana enciclopédia contemporânea da América Latina e do Caribe
    Livro Indisponível Avise-me quando chegar

    A Latinoamericana: enciclopédia contemporânea da América Latina e do Caribe foi escolhida Livro do Ano de Não Ficção pelo 49º Prêmio Jabuti. Concedido pela Câmara Brasileira do Livro, o Jabuti é o prêmio mais tradicional e importante do setor editorial brasileiro. No discurso de agradecimento, Emir Sader, em nome dos coordenadores e autores da obra, disse que esse era o 'reconhecimento da importância da América Latina, do trabalho coletivo e da pequena grande editora que é a Boitempo'. Na cerimônia de entrega, na Sala São Paulo, a Latinoamericana também recebeu o Jabuti de primeiro lugar na categoria Ciências Humanas.A enciclopédia, coordenada por Em ...

    Ano de publicação 2006.

  • 2
  • /
  • 3