Product main image - c14ccdb6-2f7f-499d-9d8c-8d3f92a09daa
image_51e5a7a8-b82a-48ab-866a-a448d802fcde
A potência plebeia
Uma coletânea de ensaios reveladores sobre a complexa intersecção de identidades indígenas, operárias e populares na Bolívia, escrita por um renomado intelectual e ex-vice-presidente do país. Um olhar único para compreender o processo político e social boliviano.

R$ 89,00

R$ 89,00 no PIX

Quantidade:


Calcule o frete e prazo de entrega

Ex-vice-presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, Álvaro García Linera é um dos mais destacados intelectuais de seu país e do continente. Com longa trajetória de militância e elaboração teórica, García Linera sempre primou pela busca de um marxismo adaptado à realidade concreta boliviana e sul-americana, conciliando o pensamento materialista dialético clássico com uma série de influências indígenas e de outras matrizes do pensamento social.

Coletânea de seis ensaios produzidos em diferentes épocas, A potência plebeia: ação coletiva e identidades indígenas, operárias e populares na Bolívia reúne pela primeira vez em português importantes momentos da produção intelectual de García Linera. Segundo o jornalista Pablo Stefanoni, autor do Prefácio, a trajetória do ex-vice-presidente o coloca no papel de “intérprete do complexo processo político e social iniciado em 22 de janeiro de 2006, após o primeiro indígena chegar à presidência desta nação andino-amazônica, onde 62% dos habitantes se autoidentificam como parte de um povo originário, em sua maioria quéchua e aimará”.

Atraído pela questão indígena por conta da guerrilha guatemalteca, García Linera jamais abandonou esse interesse nas diferentes fases de suas concepções políticas, buscando apoio no marxismo para melhor formular a proposição de um “governo-índio”. Ainda segundo Stefanoni, “dedicou centenas de páginas a esquadrinhar Marx, Engels e Lenin para encontrar respostas ao problema nacional – ou comunitário-camponês”. Esses estudos puderam ser amplamente desenvolvidos no período em que esteve preso, por conta de sua participação em movimentos guerrilheiros.
 
"

Trecho do livro

Apenas quando sai em rebelião a comunidade é capaz de invalidar, na prática, a fragmentação por meio da qual vem sendo condenada a se debilitar até hoje, reabilitando assim os parâmetros comunais da vida cotidiana como ponto de partida expansivo de uma nova ordem social autônoma. Isso significa que é nesses momentos que o mundo comunal-indígena deseja a si mesmo como origem e finalidade de todo poder, de toda identidade e todo porvir que lhe compete; seus atos são a enunciação tácita de uma ordem social que não reconhece nenhum tipo de autoridade alheia ou exterior à própria autodeterminação em marcha. Essa maneira protagônica de construir o porvir comum que reivindica, ao mesmo tempo, uma distinta figura social-natural da reprodução social (autodeterminação nacional-indígena) e transita pela refundação da existência em coalizão pactada com a plebe urbana (o nacional-popular) exige que indaguemos sobre as distintas formas da constituição nacional das sociedades. O moderno Estado nacional é, em relação a essas opções, apenas uma particularidade suplantadora e tirânica dessas energias.

"
Organização de Pablo Stefanoni
Autoria de Alvaro Garcia Linera
Tradução de Mouzar Benedito e Igor Ojeda
Texto de orelha de Emir Sader
Prefácio de Pablo Stefanoni
Fotografia de Daniel Noll e Hideki Naito
Título original: La potencia plebeya
Número de páginas: 352
Dimensões: 23 x 16 x 2 cm
Peso: 496,4 g
ISBN: 9788575591536
Encadernação: Brochura
Ano de publicação: 2010

SubTítulo 297795

ação coletiva e identidades indígenas, operárias e populares na bolívia