• Minhas compras
  • Entrar

Mudamos nossa loja virtual para melhor atendê-lo. Se você já é cliente, utilize a funcionalidade de "Esqueci minha senha" para atualizar seu acesso e fazer o login.

Minhas Compras

Não há produtos no carrinho.

Lacrimae Rerum

Ensaios sobre cinema moderno

Slavoj Žižek

R$ 49,00 Comprar

Este livro estará disponível a partir da data 07/11/2018
Lacrimae Rerum
  • autor: Slavoj Žižek
  • tradutores: Luís Leitão
    Ricardo Gozzi
  • orelha: Sérgio Rizzo
edição:
selo:
BOITEMPO EDITORIAL
idioma:
Português
páginas:
224
formato:
23cm x 16cm x 1cm
peso:
369 gr
ano de publicação:
2018
encadernação:
Brochura

ESTE LIVRO ENCONTRA-SE EM PRÉ VENDA  E ESTARÁ DISPONÍVEL A PARTIR DO DIA 07/11.

 

Lacrimae rerum, uma das obras mais aclamadas de Slavoj Žižek, ganha nova edição totalmente revista e ampliada pela Boitempo. A coletânea de ensaios, originalmente publicada em português em 2009, traz seis novos textos e análises originais sobre o cinema contemporâneo. Viral nas redes sociais e famoso por suas declarações polêmicas, o filósofo esloveno consegue manter-se sempre relevante no cenário intelectual ao abordar conceitos filosóficos pelo viés da psicanálise e da cultura pop.

 
Žižek propõe um estudo aprofundado sobre as motivações de diretores renomados internacionalmente, como Krzysztof Kieślowski, Alfred Hitchcock, Andrei Tarkovski e David Lynch. Nesta nova edição, Žižek analisa sucessos hollywoodianos recentes como Blade runner 2049, Batman: O cavaleiro das trevas ressurge, e o novíssimo Pantera Negra. A edição inclui também uma análise leninista sobre La La Land: cantando estações, comédia romântica musical lançada em 2017.  
 
Por meio de imagens familiares, o filósofo e evidencia como as histórias, mesmo críticas, fornecem um panorama estático da realidade. Segundo ele, essas narrativas são feitas de denúncias cínicas de mazelas, contrabalanceadas por uma crença irracional na "essência da situação". É a ficção concedendo legitimidade ideológica ao real. “Embora totalmente desiludidos, tais personagens são daqui e aqui devem ficar, esse sofrimento é seu mundo, eles lutam para encontrar um sentido na vida dentro dessas coordenadas, e não para ir à luta recorrendo a meio radical qualquer”, afirma no prefácio.

“Reunir o Decálogo, A dupla vida de Véronique e Lassie e a força do coração no mesmo ensaio – que sustenta como se tornou imperativa a abordagem ficcional da identidade fantasmática na obra do inicialmente documentarista Krzysztof Kieślowski – sugere que a erudição de Slavoj Žižek caminha não apenas sobre as pedras da filosofia, da psicanálise e da cultura erudita, mas também com idêntica desenvoltura, sobre o universo fabular para consumo de massas criado pela indústria do entretenimento, com destaque para a hollywoodiana” - Sérgio Rizzo.

 

Trecho da obra
 

“Blade runner 2049 oferece toda uma ampla variedade de modos de exploração, inclusive um empresário semi-ilegal que recorre a mão-de-obra infantil (centenas de órfãos humanos) para buscar maquinas digitais antigas. Do ponto de vista marxista tradicional, estranhas questões emergem: se os androides fabricados trabalham, a exploração ainda ocorre? O trabalho deles gera valores que excedem seu próprio valor como mercadorias para que possam ser apropriados por seus proprietários na forma de mais-valor”