• Minhas compras
  • Entrar

Mudamos nossa loja virtual para melhor atendê-lo. Se você já é cliente, utilize a funcionalidade de "Esqueci minha senha" para atualizar seu acesso e fazer o login.

Minhas Compras

Não há produtos no carrinho.

Marxismo e direito

um estudo sobre Pachukanis

Márcio Bilharinho Naves

R$ 42,00 Livro indisponível

Marxismo e direito
  • autor: Márcio Bilharinho Naves
  • prefácio: Oswaldo Giacóia Jr.
edição:
selo:
BOITEMPO EDITORIAL
idioma:
Português
páginas:
184
formato:
21cm x 14cm x 1cm
peso:
238 gr
ano de publicação:
2000
encadernação:
Brochura
ISBN:
9788585934637

'A forma de representação fundada na equivalência entre os sujeitos-cidadãos remete ao processo do valor de troca fundado na equivalência mercantil'

Em Marxismo e direito: um estudo sobre Pachukanis, Márcio Bilharinho Naves faz uma análise das questões levantadas pelo importante jurista soviético Evgeni Pachukanis (1891-1937). Em um texto claro e revelador, situa as ideias do jurista no interior do debate teórico e político no período que vai de 1920 ao final dos anos 1930, na União Soviética.

Pachukanis foi a grande expressão no campo do direito soviético. Nos anos 1920, já revelava o estreito vínculo entre a forma mercantil e a forma jurídica, afirmando a natureza irremediavelmente burguesa do direito. Bloqueando todas as vias de acesso ao reformismo jurídico, Pachukanis sustenta a impossibilidade teórica de um direito "socialista" e recupera, desse modo, toda a radicalidade da crítica empreendida por Marx em O capital.

Marxismo e direito: um estudo sobre Pachukanis apresenta um conteúdo de grande interesse para filósofos, sociólogos, juristas e economistas, bem como para todos os interessados num estudo sério e cientificamente qualificado da filosofia marxista do direito.

O trabalho de Márcio Bilharinho Naves é uma valiosa oportunidade de travar contato com um período de grande efervescência da história jurídica da União Soviética, ainda pouco conhecida do leitor brasileiro. Ademais, retornar a Pachukanis contribui para a tarefa de refletir sobre as possibilidades de resistência às formas de dominação impostas pelas instituições jurídicas.