Product main image - d7efabef-e7ba-4255-bec7-40d5bc6f414b
image_81d60ff0-fe2c-47da-9bad-54f14a0eaf85
O romance histórico
Autoria de György Lukács
O renomado filósofo explora a gênese do romance histórico e sua interação com a história e literatura burguesa. Escrito nos anos de exílio na União Soviética, amadurece os fundamentos de sua estética marxista. Análise única sobre a narrativa contemporânea e sua relação com as convulsões sociais.
Disponível também em

R$ 117,00

ou em 2x de R$ 58,50 sem juros no cartão

Quantidade:


Calcule o frete e prazo de entrega

Disponível também em
Escrito em 1936-37, O romance histórico de György Lukács é considerado o trabalho mais significativo do filósofo nos anos de exílio na União Soviética. Inédito em português, o livro traz textos preparatórios para uma "estética marxista". Nele, o filósofo húngaro amadurece os fundamentos da sua teoria dos gêneros literários com uma abordagem materialista da história da literatura moderna e investiga a natureza da interação entre o espírito histórico e a grande literatura: correntes, ramificações e pontos de confluência que, do ponto de vista da teoria, são característicos e imprescindíveis. "E isso apenas em relação à literatura burguesa; a mudança provocada pelo realismo socialista ultrapassa os limites de meu estudo", delimita o autor.

O livro, que conta com apresentação de Arlenice Almeida da Silva e orelha de Carlos Eduardo Ornelas Berriel, mostra como a gênese e o desenvolvimento, a ascensão e o declínio do romance histórico são consequências necessárias das grandes convulsões sociais dos tempos modernos. "Estamos diante de um ensaio feito de deslocamentos e aproximações que entrelaçam literatura, experiência e figuração do tempo. Ele [...], sobretudo, enuncia de lugar improvável uma crítica corajosa contra o pensamento socialista ortodoxo, dito vulgar", afirma Arlenice.

Com esses estudos, Lukács também pôde amadurecer sua teoria sobre o realismo, que para ele não corresponde a uma escola literária, mas sim a uma forma literária que reconstitui o homem na sua totalidade - o que seria particularmente perceptível na obra de Walter Scott, o "grande poeta da História", que introduziu na literatura épica o retrato dos costumes e das circunstâncias dos acontecimentos, o caráter dramático da ação e, em estreita relação com isso, o novo e importante papel do diálogo no romance, como assinala o filósofo.
 

Autoria de

Autoria

José Paulo Netto

Autoria de György Lukács
Tradução de Rubens Enderle
Apresentação de Arlenice Almeida da Silva
Texto de orelha de Carlos Eduardo Ornelas Berriel
Texto de quarta capa de Arlenice Almeida da Silva
Apoio de Instituto Goethe
Número de páginas: 440
Dimensões: 23 x 16 x 2,5 cm
Peso: 620,4 g
ISBN: 9788575591802
Encadernação: brochura
Ano de publicação: 2011