Product main image - 46b8ba13-83f2-4a78-a8c3-b9a48e5de3bc
image_d60d3d16-d294-4fd5-a2c2-5dc189e7a79a
Por um comunismo transexual
Autoria de Mario Mieli
Considerado um dos precursores da teoria queer, explora a relação entre homossexualidade, homofobia e marxismo. Tradução direta do italiano e com apêndice crítico, é um texto essencial para compreender a luta pela libertação sexual e a necessidade de desconstruir a "Norma" heterossexual.
Disponível também em

R$ 99,00

R$ 99,00 no PIX

Quantidade:


Calcule o frete e prazo de entrega

Disponível também em
Publicado na Itália em 1977, Por um comunismo transexual é considerado um dos precursores da teoria queer. Abordando a relação entre homossexualidade, homofobia e capitalismo, a obra de Mario Mieli representa, ainda nos dias de hoje, um desafio radical à teoria e à política dominantes. Com um tom de manifesto político, em muitos momentos utópico e voluntarista, a obra apresenta uma abordagem marxista e homossexual.

Fruto da tese de conclusão de curso de filosofia do autor, o livro tem um forte diálogo com a psicanálise. Mieli contesta algumas das teorias psicanalíticas mais conhecidas de sua época sobre a homossexualidade, além de transitar pela história da repressão aos desejos eróticos e como isso está intrinsicamente ligado à história do capitalismo.

Para Mieli, o desejo homoerótico é universal e enquanto a sexualidade for reprimida, a homofobia será um problema para todos. Para o autor, a desconstrução do que chama de “Norma” heterossexual precisa ser uma luta dos comunistas.

Publicado pela primeira vez no Brasil e com tradução direta do italiano, a edição traz um apêndice crítico, organizado por Paola Mieli, presente na edição comemorativa de 2017. Por um comunismo transexual é uma leitura essencial para todos que procuram compreender o verdadeiro significado da libertação sexual sob o capitalismo de hoje.
 

Trecho do livro

O machismo revela-se o mais grave impedimento para a realização da revolução comunista: divide o proletariado e quase sempre faz dos proletários heterossexuais os guardiões da Norma sexual repressiva de que o capital necessita para perpetuar seu domínio sobre a espécie. Os homens heterossexuais proletários estão corrompidos: eles concordam em receber o escasso dinheiro falofórico do sistema para conter, em troca das gratificações mesquinhas que derivam disso, o potencial revolucionário transexual das mulheres, das crianças e dos homossexuais. Os “garotos de programa” não são mais corruptos do que o trabalhador inscrito no Partido Comunista Italiano (PCI) que insulta as “bichas”, maltrata a esposa e bate nos filhos.

Autoria de Mario Mieli
Tradução de Rita Coitinho
Prefácio e notas de Marília Moschkovich
Capa de Cristina Gu
Número de páginas: 384
Dimensões: 23 x 16 x 2 cm
Peso: 541,5 g
ISBN: 9786557172476
Encadernação: brochura
Ano de publicação: 2023