• Minhas compras
  • Entrar

Mudamos nossa loja virtual para melhor atendê-lo. Se você já é cliente, utilize a funcionalidade de "Esqueci minha senha" para atualizar seu acesso e fazer o login.

Minhas Compras

Não há produtos no carrinho.

Shopping Center

a catedral das mercadorias

Valquiria Padilha

R$ 42,00 Comprar

Shopping Center
  • orelha: Emir Sader
  • apresentação: Ricardo Antunes
  • autor: Valquiria Padilha
selo:
BOITEMPO EDITORIAL
páginas:
224
formato:
21cm x 14cm x 1cm
peso:
200 gr
ano de publicação:
2006
ISBN:
9788575590775

“Templo” do consumo, símbolo de “progresso”, o shopping center, mais que um espaço para compras, tem se tornado um local de lazer e uma miragem, um desejo de participar de um mundo de sonhos vendidos pela publicidade. Local que exclui dele aqueles que não podem consumir – ampla maioria em um país como o Brasil – e que também exclui, na sua lógica privada, a cidadania, o espaço público, a cidade e sua história.

O shopping não é apenas uma construção física, mas também uma prisão social ainda pouco estudada de forma crítica pela sociologia e pelo urbanismo. Shopping center, de Valquíria Padilha, novo lançamento da coleção Mundo do Trabalho, vem preencher essa lacuna com uma análise profunda e fundamentada das suas origens, efeitos e ideologia. Junto com O nome da marca: McDonald’s, fetichismo e cultura descartável, de Isleide Fontenelle, forma um par de estudos fundamentais para a compreensão dos artifícios do capitalismo contemporâneo.

Para entender o fascínio que o shopping center provoca, Padilha discute a relação entre trabalho, lazer e “tempo livre” no capitalismo, e como o shopping “captura” esse tempo e essa atenção, reduzindo a relevância das pessoas a uma única dimensão de existência: comprar.

Das suas origens nas lojas de departamento europeias e sua rápida proliferação pelos Estados Unidos do pós-guerra, a autora explica os interesses do capital que levaram à construção dos shopping centers, chamados pelos norte-americanos shopping malls, e como eles redefiniram a orientação urbana nas cidades, esvaziando os centros, valorizando o automóvel e os subúrbios isolados. Ela também investiga como essa “novidade” chegou ao Brasil e quais as suas características peculiares em um país tão desigual: a extrema valorização da segurança que mascara o desejo de segregação social, e as formas subjetivas e objetivas de manter a população pobre fora dele.

Outros aspectos que o livro aborda são o papel da publicidade em gerar a angústia que move o consumismo, os gostos como sinais de diferenciação entre as classes sociais e as relações humanas mediadas por mercadorias no reino do “ter” que é o shopping center.

Padilha mostra como por trás do discurso de “qualidade de vida” está apenas a busca de lucros por meio do esvaziamento da cidade real, para uma crescente concentração de negócios, serviços e ocupação do tempo das pessoas pelo shopping center.