Product main image - a642bbf8-1346-46ac-be41-405b33b16fb9
image_8dbed320-5a20-4327-b675-ce042c5b4ddb
A perda da razão social do trabalho
Debate contundente da terceirização e da precarização no mundo do trabalho. Os autores examinam as mudanças no emprego e os direitos dos trabalhadores, com foco na situação do Nordeste brasileiro. Também oferecem uma visão valiosa sobre as transformações laborais e seus impactos.

R$ 62,00

R$ 62,00 no PIX

Quantidade:


Calcule o frete e prazo de entrega

A perda da razão social do trabalho: terceirização e precarização reúne ensaios de doze autores, organizados pelas pesquisadoras Graça Druck e Tânia Franco que há mais de duas décadas se dedicam a estudar as múltiplas conexões entre saúde e trabalho, além da repercussão das políticas de flexibilização das empresas sobre a situação do emprego e a atividade dos trabalhadores.

São três os tipos de escrito: em primeiro lugar, o livro traz reflexões teóricas sobre as transformações do trabalho, sua nova “morfologia” e a “nova conformação da classe trabalhadora”, de acordo com expressões de Ricardo Antunes, cujo artigo abre o volume.

Em segundo lugar, apresenta os substantivos resultados de uma pesquisa de campo realizada no Nordeste - em particular a região metropolitana de Salvador -, região relativamente pouco estudada pelas ciências sociais do trabalho. Os autores estudam a terceirização em empresas de ponta, com riscos industriais relevantes para a saúde e o meio ambiente, e indicam as principais mudanças e permanências, desde a década de 1990 até os dias de hoje. Num dos ensaios, Jacob Lima analisa o papel atual das cooperativas no Brasil e aponta as especificidades dessa forma de organização do trabalho numa lógica de flexibilização produtiva.

Em terceiro lugar, o volume faz uma consideração acerca da dimensão subjetiva a partir da expressão dos próprios atores sociais, tendo por base depoimentos e entrevistas de dirigentes sindicais de diferentes setores do Brasil e da França.

Os pesquisadores aqui reunidos inscrevem-se no debate sobre a conjuntura mundial de precarização social e de precarização do trabalho, iniciado no âmbito internacional na década de 1990, a partir da contribuição de Robert Castel em As metamorfoses da questão social. Se os regimes de proteção social e de direitos do trabalho variam enormemente, sobretudo entre os países capitalistas avançados e os países ditos em vias de desenvolvimento, o processo de “desestabilização dos trabalhadores estáveis” e a vulnerabilidade dos estatutos de emprego atingem hoje pessoas de ambos os grupos de países. Esta obra presta particular atenção à questão da erosão dos direitos dos trabalhadores nesse contexto. Pela grande riqueza de suas contribuições e pelas inúmeras pistas de pesquisa que traz, trata-se de um livro precioso que deve ser lido e divulgado.
 
Organização de Maria da Graça Druck e Tânia Franco
Autoria de Ângela Borges, Annie Thébaud-Mony, Edílson Almeida, Jacob Carlos Lima, José Boaventura, Maria da Graça Druck, Nathalie Ferré, Ricardo Antunes, Robson Santana, Rodrigo de Lacerda Carelli, Selma Cristina Silva, Tânia Franco
Texto de orelha de Helena Hirata
Coleção: Mundo do trabalho
Número de páginas: 240
Dimensões: 23 x 16 x 2 cm
Peso: 338,4 g
ISBN: 9788575591017
Encadernação: Brochura
Ano de publicação: 2007

SubTítulo 296182

terceirização e precarização