Product main image - e0474646-2fd9-4c51-83aa-da915d328adc
image_e581b8a4-dd6a-4b65-bd9b-5402af67f94d
Che Guevara e a luta revolucionária na Bolívia
Olhar minucioso sobre a vida e a luta de Che Guevara na Bolívia, seu compromisso com a causa revolucionária, sua coerência entre teoria e prática e seu impacto na América Latina. Inclui entrevistas, documentos inéditos e um contexto amplo que enriquece a compreensão da história e o significado do Che.
Disponível também em

R$ 97,00

R$ 97,00 no PIX

Quantidade:


Calcule o frete e prazo de entrega

Disponível também em
Che Guevara foi umas das mais importantes personalidades políticas do século XX. Como lembra Michael Löwy, o “guerrilheiro heroico”, depois de assassinado em 1967,

transformou-se em lenda. Sua imagem, seu rosto, suas ideias percorrem campos e favelas da América do Sul, universidades e manifestações dos Estados Unidos e Europa. Estudante de medicina, combatente na Sierra Maestra, presidente do Banco Central cubano, teórico militar, ministro da Indústria, sua vida foi fulgurante e meteórica. O caráter extraordinário dessa vida explica o mito de aventureiro romântico, Robin Hood vermelho, Dom Quixote do comunismo, Saint-Just marxista, Cid Campeador dos condenados da terra e dos guetos, Cristo laico, San Ernesto de La Higuera, venerado pelos camponeses bolivianos, ‘incendiário vermelho’ acendendo por toda parte as brasas da subversão. Mas o sistema que tenta recuperar o mito não consegue ‘digerir’ o revolucionário. Por trás da aparência mítica, o que realmente ilumina e dá sentido à vida do Che é a total coerência entre teoria e prática, palavra e ação. Só à luz dessa coerência se pode compreender a decisão oposta à noção habitual de estadista de trocar um cargo ministerial em Cuba pela guerrilha boliviana, visando romper o isolamento da Revolução Cubana e abrir uma segunda frente em favor do Vietnã.



Após lutar no Congo, Ernesto Che Guevara combateu na Bolívia, onde já estivera em sua juventude, em meados de 1953. Em 8 de outubro de 1967, foi capturado por uma unidade dos rangers locais (treinados por instrutores militares norte-americanos) e, no dia 9, assassinado no pequeno povoado de La Higuera.

Che Guevara e a luta revolucionária na Bolívia, do historiador Luiz Bernardo Pericás, é uma investigação profunda e detalhada sobre os aspectos da vida política, econômica e social da Bolívia nos anos 1960 e a guerrilha naquele país. Com ampla bibliografia atualizada e rigor acadêmico, o autor discute a trajetória do Che na luta guerrilheira na Bolívia, a partir de entrevistas com camponeses, políticos e intelectuais bolivianos (incluindo um militar, o general Gary Prado, na época dos acontecimentos ainda capitão e o oficial responsável pela captura do Che), livros e documentos (alguns dos quais, inéditos no Brasil). Como afirma o historiador e professor da USP, Osvaldo Coggiola, “a obra que nos apresenta Pericás é uma pesquisa que procura esmiuçar as circunstâncias históricas e políticas que envolveram o desaparecimento do revolucionário cubano-argentino Ernesto ‘Che’ Guevara. Sem a pretensão de ser biográfico, o livro mergulha profundamente no universo criado em torno à figura do Che, sua relação com mineiros, camponeses, partidos e personalidades da época, investigando, inclusive, a influência dos acontecimentos no imaginário popular e na sociedade boliviana atuais. Pode-se aceitar ou não a definição de Jean-Paul Sartre: o Che foi o maior ser humano do século XX. Em qualquer hipótese, ela está mais perto da verdade do que a sua canonização, sua transformação em ‘mito’. Este livro tenta exatamente ir além da aura mítica e redescobrir o significado histórico e político do Che”.

A obra também perpassa um contexto mais amplo, como o período em que Guevara esteve no Congo, o tempo que passou na clandestinidade na Tanzânia e Tchecoslováquia, seu retorno a Cuba, seu treinamento na ilha e sua ida à Bolívia. O texto é também rico em detalhes sobre a atuação do Exército de Libertação Nacional (ELN). Conta ainda com capítulos que narram o que aconteceu com os diários do Che após sua execução e a continuidade da luta revolucionária (guerrilha de Teoponte). Nos anexos, o leitor encontrará vasta documentação relacionada ao tema.
 

Autoria de

Autoria

Luiz Bernardo Pericás

Autoria de Luiz Bernardo Pericás
Texto de orelha de Michael Löwy
Texto de quarta capa de Werner Altmann e Osvaldo Coggiola
Capa de Antonio Kehl
Número de páginas: 420
Dimensões: 23 x 16 x 3cm
Peso: 592,2g
ISBN: 9786557172438
Ano de publicação: 2023