• Minhas compras
  • Entrar

Mudamos nossa loja virtual para melhor atendê-lo. Se você já é cliente, utilize a funcionalidade de "Esqueci minha senha" para atualizar seu acesso e fazer o login.

Minhas Compras

Não há produtos no carrinho.

Che Guevara e o debate econômico em cuba

Luiz Bernardo Pericás

R$ 59,00 Comprar

Che Guevara e o debate econômico em cuba
  • autor: Luiz Bernardo Pericás
  • prefácio: Michael Lowy
  • orelha: Jorge Grespan
  • posfácio: Luiz Alberto Moniz Bandeira
selo:
BOITEMPO EDITORIAL
páginas:
287
formato:
23cm x 16cm x 0cm
peso:
457 gr


 

 

Vencedor do Prêmio Jabuti 2017 de melhor biografia, o historiador Luiz Bernardo Pericás lança uma nova edição, revista e ampliada, de Che Guevara e o debate econômico em Cuba. O livro analisa e interpreta o pensamento econômico guevariano, os debates surgidos em torno de suas ideias nos anos 1960, dentro e fora da ilha, e seu impacto nesse período crucial da história da Revolução Cubana. 

A obra, como enfatiza o autor, não é um esboço biográfico, tampouco uma narrativa linear sobre os primeiros anos da Revolução Cubana, e se destaca em meio à bibliografia existente, na qual Guevara costuma ser visto mais como guerrilheiro heroico do que como formulador de diretrizes econômicas. O historiador destaca a importância do líder como principal debatedor e incentivador das discussões econômicas daquele período no governo cubano. “Devemos nos lembrar de que a análise de conjunturas históricas a partir de determinada personalidade propicia ao historiador fazer um estudo mais detalhado sobre o tema. [...] O que tentamos fazer é, portanto, tomar o comandante argentino como centro desta investigação e, a partir dele, discutir uma série de questionamentos em torno do debate econômico em Cuba, assim como, de maneira mais ampla, no campo socialista.”

Claro, acessível, bem documentado e escrito em linguagem envolvente, o livro tem o mérito adicional de pôr as ideias de Che Guevara sobre a economia em seu contexto histórico, incluindo as mudanças radicais de seu pensamento – entre 1959 e 1965 – em relação à União Soviética e mesmo a Cuba. Pericás analisa as principais discussões sobre a industrialização da ilha e a gestão das empresas no período em questão, traçando um painel econômico rico a partir de dados estatísticos sobre o país. Para isso, recorreu tanto à bibliografia e a documentos do período mencionado quanto a publicações sobre o tema; e entrevistou estudiosos, especialistas em economia socialista e personalidades do governo cubano que participaram dos projetos de desenvolvimento no início daquele processo. A nova edição foi complementada com dados estatísticos apresentados por estudos historiográficos mais recentes.

Lançado originalmente em 2004, Che Guevara e o debate econômico em Cuba ganhou o Prêmio Ezequiel Martínez Estrada 2014, da Casa de las Américas, e foi publicado na Argentina, nos Estados Unidos e em Cuba. A nova edição brasileira contará com prefácio de Michael Löwy, posfácio de Luiz Alberto Moniz Bandeira, textos de capa de Jorge Grespan e Tirso W. Saenz.

***

“O Che era um homem de pensamento integral e estratégico, convencido de que o desenvolvimento da consciência do ser humano, sua formação ideológica e moral são essenciais na construção da sociedade socialista. Seu pensamento econômico, assim como suas ações, era consequente com essas premissas. Como ministro de Indústrias em Cuba, desenvolveu ideias e instaurou métodos de direção e controle econômico como instrumentos tecnológicos em função dos objetivos socialistas. Ao mesmo tempo, indicou e previu os grandes perigos que poderiam advir caso não se seguisse por esses caminhos: previsão tornada realidade na derrocada do campo socialista. Neste excelente livro, o historiador e escritor Luiz Bernardo Pericás analisa e interpreta em profundidade o pensamento econômico do Che e os debates surgidos em torno dessas ideias dentro e fora de Cuba naquele momento, abrindo possibilidades para continuar esse debate – uma contribuição para o avanço do socialismo, particularmente neste momento de profundas transformações em Cuba.” – Tirso W. Saenz.