Product main image - 7daed583-7e9d-4ecf-8f88-c2a6e3de7090
image_0808db1e-522b-4816-b529-c03e0b72be35
Margem Esquerda 11
Autoria de Vários
Desde 2003 a Margem Esquerda, revista semestral da Boitempo, se dedica a enfrentar os principais desafios de nosso tempo histórico. Com rigor teórico e compromisso com a construção de um mundo justo e livre de opressões, cada edição apresenta dossiê temático, artigos, entrevistas com alguns dos principais teóricos do marxismo e ativistas políticos, além de poesias, resenhas e um ensaio visual.

R$ 47,00

R$ 47,00 no PIX

Quantidade:


Calcule o frete e prazo de entrega

1968 foi um ano extraordinário. Espalharam-se pelo mundo protestos contra a Guerra do Vietnã. Estudantes franceses organizaram-se e exigiram mudanças sociais radicais. O povo, em luta, tomou as ruas da Checoslováquia, do México e dos Estados Unidos. Foi um ano de ressurgimento das mobilizações de massa e da esperança, ano de efervescência intelectual, em que pensamento e ativismo não se dissociavam. A cena cultural tremeu, com uma verdadeira revolução: Beatles, Rolling Stones, Sartre, Joan Baez, Bob Dylan, Chico Buarque, Vianinha e tantos outros. Quarenta anos depois, Margem Esquerda dedica um dossiê – “1968, o ano que (quase) mudou o mundo” – à análise do impacto e do legado dessa década.

1968 aparece também nas imagens de Antonio Manuel (editadas por Luiz Renato Martins) e na seção Documentos. O massacre de Tlatelolco é o tema da escritora mexicana Elena Poniatowska (Tiníssima, Era, 1993), em emocionante texto lido na inauguração do Memorial de 68, no Centro Cultural Universitário Tlatelolco (Unam), no qual ela lembra que “denunciar os culpados é a única maneira de evitar que a história seja escrita somente pelos poderosos”.

A edição traz também uma conferência da dra. Nise da Silveira, psiquiatra e criadora do Museu de Imagens do Inconsciente, publicada na revista Movimento, em 1935, em que ela aborda questões filosóficas e sociais. A entrevistada deste Número é a economista Maria da Conceição Tavares. Nascida em Portugal, filiada ao Partido dos Trabalhadores, ela recebeu Carlos Eduardo Martins, Rodrigo Castelo e Virgínia Fontes para tratar de assuntos que vão do limite da queda do dólar no padrão flexível à influência de Marx em seu pensamento.

Duas importantes resenhas retomam os temas da construção do socialismo e da “desconstrução” da ideologia: a de Ruy Braga, professor do Departamento de Sociologia da USP, sobre O desafio e o fardo do tempo histórico, de Mészáros, que identifica na defesa do princípio da igualdade substantiva – empreendida pelo autor – uma importante atualização do projeto socialista; e a de Jorge Grespan, professor de Teoria da História da USP, sobre a principal obra filosófica de Marx e Engels: A ideologia alemã. Para homenagear o mais universal de todos os revolucionários, Che Guevara, que em 14 de junho completaria 80 anos, publicamos o poema “Digam ao Che”, do professor de Literatura Brasileira, poeta e tradutor Flávio Aguiar. Textos de textos de István Mészáros, Nicolas Tertulian, Lincoln Secco, Michael Burawoy, João Alexandre Peschanski, Michael Burawoy, Forrest Hylton e três notas de leitura e uma “Carta à Margem”, do jornalista Raimundo Pereira, completam este Número da revista.
Peso: 225,6 g
ISBN: 9771678768411
Ano de publicação: 2008