Product main image - 7a7e8bfa-cb1e-4ae4-868c-2eefbfbdab5e
image_d0563005-78dc-49b5-8d12-86a61da18952
Brasil
Análise das complexidades do Brasil moderno, explorando a transição da ditadura à democracia e a ascensão do "neoliberalismo desenvolvimentista." Revela os paradoxos de um Estado conservador e as tensões entre democracia e neoliberalismo que moldaram o atual cenário político brasileiro.
Disponível também em

R$ 79,00

R$ 79,00 no PIX

Produto esgotado

Preencha os campos para ser avisado assim que o produto voltar ao estoque!


Disponível também em
Em Brasil: neoliberalismo versus democracia, Alfredo Saad Filho e Lecio Morais analisam os paradoxos do Brasil moderno. Já nas primeiras linhas os autores fornecem a chave de leitura que ampara sua interpretação de como o Brasil transitou da ditadura à democracia e deixou para trás o modelo de substituição de importações, abraçando, sem amarras, o neoliberalismo.

Com rigor e precisão, apoiados no método e no instrumental analítico marxista que lhes conferem grande destaque no campo da economia política, Saad Filho e Morais resgatam as ambiguidades de um Estado profundamente conservador. Nessa teia de contradições, toma forma o que denominaram "neoliberalismo desenvolvimentista", cuja essência paradoxal se expressa no colapso do projeto político do Partido dos Trabalhadores (PT). Implementado gradualmente pelas administrações federais lideradas pelo PT, o "neoliberalismo desenvolvimentista" sustentou-se enquanto apresentou êxitos sociais e econômicos incontestáveis. Em uma interpretação original, Saad Filho e Morais mostram que, quando as limitações desse modelo se tornaram evidentes, os setores que se sentiram prejudicados por ele - a chamada aliança de privilégios - articularam-se para pôr fim ao impasse. Esse movimento de elites levou ao impeachment de Dilma Rousseff e ao surgimento de uma extrema direita de massas no país. Para os autores, "as tensões devidas à incompatibilidade entre a democracia e o neoliberalismo limitaram o espaço para a distribuição de renda e riqueza e para a integração social baseada na cidadania".
 

Trecho do livro

Talvez fosse o caso de começar afirmando que 2013 foi o último ano da história da esquerda brasileira e de suas estruturas hegemônicas. Essa revolta popular ressoa ainda como uma espécie de acontecimento não integrado, com uma rede de potencialidades que continua a nos assombrar de forma espectral. O que ocorreu depois de 2013 foi uma lenta e contínua degradação marcada pela atrofia da capacidade de ação e da imaginação política da esquerda brasileira em seus múltiplos partidos, em seus sindicatos e em seus movimentos sociais. Depois de 2013, a esquerda brasileira tornou-se basicamente uma força reativa que responde desesperadamente à capacidade de constituir agenda política e pautar mobilização popular da extrema direita.

- Lena Lavinas

Autoria de Alfredo Saad Filho e Lecio Morais
Texto de orelha de Lena Lavinas
Número de páginas: 304
Dimensões: 23 x 16 x 2 cm
Peso: 428,7 g
ISBN: 9788575596661
Encadernação: Brochura
Ano de publicação: 2018